Lobão: estamos quase ‘mendigando’ licença de usina

GERUSA MARQUES – Agencia Estado

BRASÍLIA – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que o ministério está “quase que mendigando” a licença prévia para o leilão da hidrelétrica de Belo Monte, prevista para ser construída no Rio Xingu (PA). Lobão participou hoje da cerimônia em que deu posse aos diretores da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o engenheiro Edvaldo Santana, que está sendo reconduzido ao cargo, e o advogado Julião Coelho, que assume para um mandato de quatro anos.
Advertisements

Demanda por energia elétrica no Brasil subirá 9,4% em 2010

Rio de Janeiro, 22 dez (EFE).- A demanda por energia elétrica em território brasileiro deve subir 9,4% ano que vem, totalizando 455,2 mil gigawatts-hora (GWh), de acordo com nota técnica da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O forte aumento é fruto da saída definitiva do Brasil da crise e tem como referência os dados de 2009, de 388 mil GWh – uma queda de 1,2% em relação ao ano passado. Entre janeiro e outubro houve baixa de 9,9% na demanda por energia elétrica, valor que deve fechar 2009 em 7,5%. O consumo doméstico e das lojas devem terminar o ano com crescimento de 5,8% e 5,1%, respectivamente. Nos próximos anos, os índices continuarão a crescer “com o processo de melhoria da renda e da qualidade de vida da população”, segundo o texto do EPE. Entre 2010 e 2018, a demanda por energia elétrica no Brasil deverá crescer em média 5,2%, chegando a 681,7 mil GWh. As previsões se baseiam no cálculo de que a economia brasileira crescerá em torno de 6% em 2010, e a uma média anual de 5% até 2018. Também colaborarão no processo as medidas para melhorar a eficiência energética, que permitirão economizar aproximadamente 3% do consumo anual. Isto corresponderá a 21 GWh em 2018, uma economia em emissões de cerca de 22 milhões de toneladas de dióxido de carbono. O valor supera o total de emissões de todo o ano passado do sistema de geração elétrica do país, que depende em sua grande maioria das centrais hidroelétricas. A autoprodução de energia elétrica – geração a partir de pequenas instalações localizadas junto às unidades de consumo – também registrará forte aumento, de 8,4% ao ano, chegando a 74,4 GWh em 2018. EFE.

Fonte:G1

US$ 100 milhões para YPFB

Com um atraso de quase três anos, a Petrobras pagará à YPFB US$ 100 milhões adicionais pelas chamadas “frações líquidas” do gás boliviano. O valor refere-se à 2007 e deverá ser pago em 30 dias, contou a diretora de Gás e Energia da petroleira, Maria das Graças Foster nesta sexta-feira (18/12), durante coletiva de imprensa.

Os próximos pagamentos ainda estão sendo definidos e recalculados e a segunda parcela – referente à 2008 – poderá ser paga em cerca de 90 dias. A executiva adiantou, no entanto, que os ajustes retroativos das próximas parcelas devem ficar em torno de US$ 100 milhões e US$ 180 milhões.

“Depois de pagar o retroativo, vamos agregar esse valor aos pagamentos normais do gás”, comentou Graça após reforçar que a Petrobras ainda está se reunindo com a empresa boliviana para definir os próximos pagamentos.

A diretora garantiu ainda que o gasto extra da petroleira com o gás não será repassado ao comsumidor. “Vamos absorver esse custo, diminuindo nossa margem”. Para janeiro de 2010, no entanto, está previsto um reajuste trimestral de cerca de 7% no preço do gás.

Fonte:Energia Hoje

Brasil faz primeiro leilão de energia eólica

O primeiro leilão de energia eólica no Brasil terminou hoje após a negociação para a construção e operação de 71 empreendimentos com uma capacidade somada de 1.805,7 megawatts (MW), informaram fontes oficiais.Os 71 projetos abrigarão um total de 773 aerogeradores que poderão entrar em operação em 1º de julho de 2012 e terão um prazo de concessão de 20 anos.A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), organismo encarregado de realizar o leilão, calculou que, nos primeiros 20 anos, a soma destes parques de geração de energia eólica vão produzir 132.015 gigawatts por hora (GWh), 1,4% a mais do que é gerado em um ano pela usina hidroelétrica de Itaipu. No total, serão investidos R$ 9,4 bilhões na construção das usinas de geração de energia eólica, segundo cálculos do Ministério de Minas e Energia.O preço médio do megawatt ficou em R$ 148,39, valor 21,5% inferior ao teto marcado pelo Ministério, o que representará a negociação de contratos por R$ 19,59 bilhões ao longo dos 20 anos.O preço da energia era o critério de maior importância na concessão dos projetos. O destaque foi a oferta da empresa Coxilha Negra, de R$ 131, com um desconto de 30,69% para as três usinas que ganhou no sul do país.Participaram do leilão 339 projetos que, somados, poderiam gera dez mil megawatts, mas foram descartados todos aqueles que superaram o preço de R$ 189 por megawatt.A grande maioria dos projetos para a geração de energia eólica licitados se concentra na região Nordeste, com destaque para o estado do Rio Grande do Norte, com 23 parques aprovados.Até agora, existem no Brasil 36 usinas geradoras de energia eólica em operação que somam 602 MW. Outros dez projetos que somam 256,4 MW estão em fase de construção e outros 45, com potencial de 2.139,7 MW, já foram licitados.Este leilão pretende reforçar o perfil “verde” da geração elétrica no Brasil, que atualmente depende em 85,4% das fontes renováveis, principalmente de usinas hidroelétricas.Nesta linha, o Governo anunciou na semana passada a isenção permanente dos impostos que taxavam a comercialização de aerogeradores utilizados na produção de energia eólica.

Fonte:UOL

Passivo da conta de energia pode ser discutido a ‘vida inteira’, diz Hubner

Entidades da indústria, consumidor e sindicatos pedem ressarcimento.

Eventuais passivos podem ser ressarcidos via abatimento, diz Hubner.

Alexandro Martello Do G1, em Brasília

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, afirmou nesta segunda-feira (7), que eventuais passivos (obrigações devidas) das distribuidoras referentes ao erro de cálculo das tarifas de energia elétrica nos últimos anos podem demorar “a vida inteira” para serem resolvidos. “O passivo, pode tratar a vida inteira”, disse ele a jornalistas.

Lenn pelloc’h

Petrobras começa este mês a gerar energia elétrica a partir do etanol

Rio de Janeiro, 8 dez (EFE).- A Petrobras dará início, no dia 21 deste mês, aos testes em nível comercial de uma turbina inédita no mundo, que vai gerar eletricidade a partir do etanol, combustível derivado da cana-de-açúcar, informaram hoje fontes da empresa. “O Brasil será o primeiro país do mundo a produzir energia a partir de etanol”, disse a diretora de Gás e Energia da empresa, Maria das Graças Foster, em entrevista coletiva no Rio de Janeiro. A funcionária explicou que a energia gerada a partir de uma fonte renovável será produzida por uma das duas turbinas da usina termoelétrica que a Petrobras tem em Juiz de Fora (MG). A turbina, com capacidade para gerar 45 megawatts, foi adaptada pela multinacional General Electric (GE) para operar tanto com gás como com etanol. “A turbina já foi adaptada e atualmente está operando com gás sem nenhum problema. No dia 21 de dezembro, a colocaremos para operar com etanol e faremos uma avaliação durante três meses”, afirmou Maria das Graças. A diretora explicou que a intenção da empresa é avaliar tanto o desempenho da turbina com o novo combustível quanto as emissões de gases poluentes e a viabilidade econômica do projeto. “Temos as melhores expectativas para mostrar a viabilidade técnica e econômica da produção de eletricidade com uma fonte menos poluente”, afirmou. Ainda segundo a diretora, apesar de o etanol ser atualmente um combustível mais caro que o gás para gerar eletricidade, é uma alternativa aos combustíveis fósseis, estará à disposição em caso de necessidade e poderá ser beneficiado pelos projetos de incentivo à redução das emissões de poluentes. “Se obtivermos os resultados esperados, estaremos oferecendo uma grande opção para países que não produzem combustíveis fósseis, mas, sim, produzem etanol, ou para os que importam etanol e querem reduzir suas emissões”, explicou. Maria das Graças se recusou a divulgar o valor investido até agora no projeto, já que ele foi viabilizado a partir de “um acordo confidencial com a GE, que desenvolveu a turbina”. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de etanol de cana-de-açúcar, possui a maior frota de automóveis adaptada para este combustível e lidera uma iniciativa para incentivar a produção e o consumo de álcool como alternativa para reduzir as emissões de poluentes e favorecer os agricultores de países em desenvolvimento. EFE

Fonte:G1.