Zimmermann defende construção de usina-plataforma

Conceito será aplicado em hidrelétricas do Complexo Tapajós, cujo leilão está previsto para 2011 e entrada em operação para 2016

Para evitar os grandes impactos ambientais em regiões de florestas nativas, como a Amazônia, por exemplo, o Brasil produzirá energia através de usina-plataforma. O conceito consiste na construção da usina e no fechamento da mata em volta, não permitindo a construção de cidades, estradas e outras obras de infraestrutura que vão causar desmatamento na região.

De acordo com o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, após a conclusão do empreendimento, seriam necessários apenas operadores e pessoal de manutenção que eventualmente irão à usina. “É uma forma de o Brasil explorar uma riqueza que tem na Amazônia e, ao mesmo tempo, evitar uma devastação na região”.

Este conceito de usina-plataforma será aplicado no Complexo Tapajós. Segundo Zimmermann, a soma destas hidrelétricas pode chegar a 1/4 da usina de Itaipu e a área inundada seria de de apenas 1.900 quilômetros quadrados para uma área total de 200.000 quilômetros quadrados. A ideia, ainda de acordo com o secretário, é realizar o primeiro leilão para essas usinas, que serão construídas na Bacia do Tapajós, no Amazonas e no Pará, em 2011. A entrada em operação está prevista para 2016.

Fonte:Canal Energia

Justiça Federal anula leilão da UHE Baixo Iguaçu

A hidrelétrica de Baixo Iguaçu (PR-350 MW) sofreu um forte revés na última sexta-feira, 19 de fevereiro. O leilão da usina foi anulado pelo juiz federal substituto, Sandro Nunes Vieira, da Vara de Francisco Beltrão. O juiz acatou pedido feito pelo Ministério Público Federal do Paraná, que pedia a anulidade do processo de licenciamento ambiental da usina. A Neoenergia, concessionária do empreendimento, confirmou à Agência CanalEnergia que foi notificada e vai recorrer da decisão.

O juiz anulou a licença prévia ambiental do Instituto Ambiental do Paraná, além da declaração de reserva de disponibilidade hídrica concedida pela Agência Nacional de Águas. Essas medidas tornaram o leilão, realizado em setembro de 2008, nulo. Para o juiz Sandro Nunes Vieira a renovação da DRDH deveria está sujeita ao Plano Nacional de Recursos Hídricos, o que, segundo ele, não teria ocorrido.

Além disso, o juiz determinou que o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis e o Instituto de Conservação da Biodiversidade Chico Mendes se abstenham de licenciar, ou anuir com, o licenciamento de qualquer hidrelétrica na mesma área, com base nas atuais normas ambientais em vigor. O licenciamento depende do plano de manejo do Parque Nacional do Iguaçu e do PNRH, que constituiriam impedimento para captação de água para geração de energia na área de influência da unidade de conservação.

O descumprimento da decisão, no que tange ao licenciamento e a validade do leilão, pode levar a uma multa de R$ 150 mil. A hidrelétrica deveria operar a partir de janeiro de 2013.

Fonte: Canal Energia

Vale entra em consórcio para disputa de Belo Monte

AE  Agencia Estado

SÃO PAULO – A Vale assinou um memorando de entendimentos para participar da licitação de hidrelétrica de Belo Monte, em consórcio com a Andrade Gutierrez, a Neoenergia Investimentos e a Votorantim Energia. Em comunicado divulgado hoje, a Vale informou que as empresas se “comprometem a desenvolver estudos para determinar a atratividade do empreendimento, avaliar as condições de participação no processo e, após estas etapas, formalizar instrumentos jurídicos definitivos que permitam sua entrada conjunta no leilão.”

A expectativa é de que o edital com as condições da disputa seja publicado nas próximas semanas no Diário Oficial da União. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já deu sinais de que está preparado para financiar o vencedor do leilão de concessão para a construção da usina.

Fonte:Estadão

Espírito Santo realiza seminário “O pré-sal é nosso?”

O seminário contará com a participação de Haroldo Lima, presidente a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o tema em debate será como o petróleo extraído do pré-sal poderá contribuir para o desenvolvimento do país.

Vale à pena anotar na agenda. No dia 18 de março de 2010, será promovido no cerimonial Le Rosé, Rua Constante Sodré, 676, Santa Lúcia, Vitória, ES o seminário Petróleo, Desenvolvimento, Inclusão Social e Meio Ambiente. Segundo seus organizadores, a iniciativa tem por objetivo promover o primeiro debate no estado do Espírito Santo sobre a extração de petróleo da camada pré-sal e sobre os possíveis impactos sociais, ambientais, econômicos e políticos que tal atividade certamente provocará aqui no estado e em outras partes do país.
Lenn pelloc’h

Eletrobrás pode ter metade da usina de Belo Monte

BRASÍLIA – A Eletrobrás poderá ter praticamente metade da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). A participação na obra, que será a terceira maior usina do mundo quando concluída, é mais um sinal do fortalecimento da estatal, seguindo determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de estruturar uma megaempresa de energia.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a Eletrobrás já foi a maior empresa do Brasil, superando até a Petrobras. “Depois, ela foi ao chão e, com o governo Lula, retomamos a grandiosidade dela”, disse o ministro à Agência Estado.

Lenn pelloc’h

França quer determinação para lutar contra programa nuclear do Irã

O último relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) sobre o programa nuclear iraniano aponta a necessidade de “atuar com determinação para responder à falta de cooperação” da República Islâmica, afirmou nesta sexta-feira o ministério francês das Relações Exteriores.

“Esse informe confirma de maneira precisa as graves preocupações da comunidade internacional” e “mostra a urgência de atuar com determinação para responder à falta de cooperação por parte do Irã”, declarou o porta-voz da chancelaria, Bernard Valero.

A AIEA afirmou na quinta-feira que o Irã pode estar fabricando uma bomba atômica.

O enriquecimento de urânio iraniano “gera preocupações sobre a potencial existência de atividades secretas passadas ou presentes no Irã, relacionadas com o desenvolvimento de uma carga nuclear para um míssil”, assinala o diretor da Agência, Yukiya Amano, em seu primeiro informe ao Conselho de Segurança da ONU.

A França, que exerce neste mês a presidência do Conselho, é a favor de reforçar as sanções contra o Irã, suspeito por países ocidentais de tentar criar uma arma nuclear.

O país islâmico, que afirma que seu programa nuclear tem apenas fins pacíficos, disse nesta sexta-feira que as suspeitas da AIEA são totalmente “infundadas”.

Fonte:G1

Obama anuncia financiamento para usina nuclear nos EUA

Governo garantirá US$ 8 bilhões para o projeto, diz presidente.
É a primeira usina do tipo a ser construída no país em quase 30 anos.

Barack Obama faz tour de centro de treinamento de eletricistas em Lanham, Maryland, nos EUA, onde anunciou financiamento para usina nuclear (Foto: Pablo Martinez Monsivais/AP)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta terça-feira (16) que seu governo vai garantir US$ 8 bilhões em financiamento para uma usina nuclear, a primeira a ser construída nos EUA em quase três décadas.

Lenn pelloc’h