Entrevista para o site Inteiro Ambiente

Nestas últimas semanas, a equipe do Energia Inteligente foi contactada pela equipe do site Inteiro Ambiente, cujo intuito é publicar matérias jornalísticas de viés ambiental, com o objetivo de obter uma entrevista e entender mais sobre nossa proposta como projeto em torno da temática energia, e mais especificamente sobre o nosso pensamento em torno do conceito “Energia Inteligente”.

Abaixo está reproduzida a matéria que também pode ser vista no site do Inteiro Ambiente. Agradecemos o contato feito a oportunidade de divulgação, aproveitando para dizer que estaremos sempre a disposição para contatos tão construtivos e importantes para o nosso ideal.

Energia Inteligente: opções não convencionais para gerar menos impacto


por Helena S. Sylvestre
Dom, 23 de Maio de 2010 11:18
Opções de energia Foto: Divulgação

A preocupação com o mau uso que se faz dos recursos energéticos, que resulta em danos ao meio ambiente e à qualidade de vida dos seres vivos, é um grande tema em alerta.
Pensando nisso, os alunos Amanda Silva, Arthur Reis, Fernando Monteiro, Henrique Schettino, João Tito Vianna e Leonardo Melo, do PET (Programa de Educação Tutorial) do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora criaram o blog Energia Inteligente, com o objetivo de transformá-lo em uma central de informações sobre a questão energética.
O Energia Inteligente tem como proposta abrir um espaço de discussão, com enfoque nas novidades relacionadas ao tema, às pesquisas em andamento e às políticas públicas que estão sendo aplicadas na produção, uso e conservação de energia. A intenção é mostrar de que maneira os tipos de produção de energia interagem com o ambiente e os impactos causados na sociedade.
De acordo com os integrantes do grupo, energia inteligente é aquela que ao ser gerada, transmitida e consumida, utiliza meios tecnológicos que aumentam a eficiência e diminuem os impactos ambientais. “Dessa forma, contribui-se para a sustentabilidade ecológica do planeta e para a diminuição dos custos da produção energética”.

UFRJ lança ônibus movido a hidrogênio

RIO – O primeiro ônibus movido a hidrogênio com tecnologia nacional foi lançado na última quarta-feira, no Rio. A tecnologia foi desenvolvida pelo Instituto de Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O objetivo é ter o ônibus como opção de transporte sustentável na capital fluminense até a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016.

O equipamento ainda tem um custo superior aos ônibus comuns, mas a estimativa do coordenador do projeto, Paulo Emílio de Miranda, professor da Coppe, é de que essa diferença desapareça a partir da produção em escala. “Por enquanto, é só um protótipo, não há como comparar com a produção industrial”, disse.

Lenn pelloc’h

Para onde

Como fim iminente da produção da tradicional lâmpada incandescente, a primeira na lista das substitutas é a fluorescente. O problema, neste caso, é o descarte de um produto que tem em sua composição materiais tóxicos

Brasil – Com o fim iminente da produção da tradicional lâmpada incandescente, a primeira na lista das substitutas é a fluorescente. O problema, neste caso, é o descarte de um produto que tem em sua composição materiais tóxicos. Uma das gigantes do setor de iluminação, a Philips anunciou, em fevereiro, que não produzirá mais lâmpadas incandescentes no Brasil. A decisão da empresa segue uma tendência irreversível: o mercado agora é das fluorescentes e dos LEDs, muito mais eficientes em uma realidade que valoriza o baixo consumo energético.

Mas o que parece uma solução pode virar um grande problema. Feitas com materiais tóxicos, as fluorescentes – opção mais barata (por enquanto) e popular do que os LEDs – poluem o ambiente e podem causar problemas à saúde se descartadas de forma incorreta. Elas precisam ser levadas a uma fábrica especializada para serem descontaminadas.

Lenn pelloc’h

CPFL Energia firma parceria com Th!nk por carro elétrico

Por Redação, com Agência Rio de Notícias – do Rio de Janeiro

A CPFL Energia firmou parceria com a TH!NK Global AS, montadora norueguesa de carros elétricos, para trazer ao Brasil três unidades do modelo de passeio TH!NK City. Com o acordo, a empresa brasileira espera oferecer ao mercado nacional veículos que emitam menos carbono e que utilizem fontes de energia alternativas.

A parceria com a TH!NK é mais uma etapa do programa de veículos elétricos iniciado em 2006 pela CPFL Energia. Atualmente, a empresa participa de outras iniciativas neste segmento: Palio Weekend (parceria com Fiat e Itaipu), moto elétrica (em conjunto com a Unicamp) e o ARIS (veículo elétrico projetado pela EDRA em parceria com a CPFL).

Para o CEO da CPFL Energia, Wilson Ferreira Júnior, “a mobilidade sustentável está ocupando um espaço cada vez maior na pauta política e de meio ambiente no Brasil e a CPFL quer estar à frente desse movimento.

– Queremos mostrar nossos projetos de veículos elétricos nesta edição do Michelin Challenge Bibendum, que é especial por celebrar os 10 anos do evento, e que terá o nosso presidente da República reforçando a determinação do país em buscar a mobilidade sustentável no futuro. Estamos muito satisfeitos com o suporte que a TH!NK está nos proporcionando para, em conjunto com o Brasil, atingirmos este objetivo –, acrescenta o executivo.

Fonte: Jornal Correio do Brasil

Zimmermann critica lobby contra hidrelétrica de Belo Monte

Ministro de Minas e Energia defendeu execução do projeto durante reunião da subcomissão que vai acompanhar a obra

Durante reunião realizada pela subcomissão temporária criada para acompanhar a execução das obras da usina de Belo Monte (11.233GW), o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann criticou um suposto movimento de oposição que existe em torno da realização do projeto do Rio Xingu.

Segundo o ministro, quando indagado na reunião sobre o motivo dos protestos contra a construção da hidrelétrica, muitas pessoas são desfavoráveis a Belo Monte por não considerarem a Amazônia território brasileiro.
Lenn pelloc’h

Projetos de eólicas no RN são enquadrados no Reidi

Unidades Mangue Seco 1 e 3 serão instaladas no município de Guamaré e somam 51,2 MW de capacidade instalada

O Ministério de Minas e Energia enquadrou as eólicas Mangue Seco 1 (26 MW) e 3 (25,2 MW) no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura. As usinas estão localizadas no município de Guamaré, no Rio Grande do Norte, segundo as portarias 535 e 536 do Diário Oficial da União desta segunda-feira, 24 de maio. Os empreendimentos pertencem às Sociedades de Propósito Específico Eólica Mangue Seco 1 – Geradora e Comercializadora de Energia Elétrica S.A. e Eólica Mangue Seco 3 – Geradora e Comercializadora de Energia Elétrica S.A.

Fonte:Canal Energia

Cientistas apresentam estratégia para limitar o aquecimento global

Redação do Site Inovação Tecnológica - 24/05/2010

Embora não tenham chegado a nenhum acordo sobre o que fazer, os países reunidos em Copenhague concordaram que uma ação substancial é necessária para limitar o aumento da temperatura média global a menos de 2 graus Celsius até o final deste século.

Mas uma ação em que direção? Quais caminhos a ciência mostra aos políticos para que eles possam tomar atitudes que se mostrem eficazes e produzam os resultados esperados?

Cientistas apresentam estratégia para limitar o aquecimento  global

Ramanathan e Xu reconhecem que há muitas incertezas sobre a natureza e o papel dos aerossóis e da sensibilidade do clima às ações de mitigação, o que torna difícil de calcular com precisão os efeitos das ações que eles sugerem. [Imagem: Nicolle Rager Fuller]

Eletrobras lucra 5 vezes mais no trimestre e obtém R$ 519,8 milhões

Lucro líquido consolidado foi de R$ 519,8 milhões.
Um ano antes, ganho havia sido de R$ 101,3 milhões.

A Eletrobras informou nesta terça-feira (18) que terminou o primeiro trimestre de 2010 com lucro líquido consolidado de R$ 519,8 milhões, cinco vezes mais do que os R$ 101,3 milhões de mesmo intervalo do ano passado.

O resultado financeiro da estatal foi positivo em R$ 348,1 milhões ante perda de R$ 359 milhões um ano antes. A companhia informou registrou receita líquida de variação cambial R$ 214,54 milhões no primeiro quarto do ano, revertendo o resultado negativo de R$ 125,46 milhões um ano antes.

O desempenho, porém, não inclui os números da geradora Furnas e de algumas distribuidoras do grupo.

Os resultados da Eletrobras serão atualizados, mas ainda não há data prevista, disse o gerente de Relações com Investidores da estatal do setor elétrico, Arlindo Castanheira, em teleconferência com analistas nesta terça-feira.

De acordo com a Eletrobras, os demonstrativos financeiros de Furnas e Distribuição Acre, Amazonas Energia e Distribuição Roraima não foram concluídos. Já no caso da Distribuição Rondônia, o balanço é referente apenas a janeiro.

Quatro analistas consultados pela Reuters esperavam, em média, lucro líquido de quase R$ 1,1 bilhão.

Como explicou em nota, “a desvalorização do real em relação ao dólar e o fato de a Eletrobras deter relevante parcela de seus recebíveis indexados à moedas estrangeiras, principalmente ao dólar, produziram efeito positivo” no desempenho da companhia nos três primeiros meses do ano.

As despesas operacionais ficaram em R$ 3,634 bilhões, ou 33,4% abaixo dos R$ 5,457 bilhões verificados no trimestre inicial do calendário passado.

As receitas operacionais somaram R$ 4,124 bilhões, com queda de 32,2% perante os R$ 6,087 bilhões somados nos três primeiros meses de 2009.

Fonte: G1

A era dos LEDs

Brasil – Reportagem da Revista Lumière indica que tecnologias de iluminação estão voltadas cada vez mais para o aprimoramento dos Leds, como forma de amenizar impacto sobre consumo de energia

Brasil – Toda indústria necessita de recursos financeiros e tecnológicos para o desenvolvimento de novos produtos e no mercado de iluminação a história se repete.

Atualmente, grandes empresas fabricantes de lâmpadas estão anunciando investimentos expressivos em pesquisas e projetos com ênfase em economia de energia elétrica e melhor qualidade da reprodução da luz. Estudos realizados recentemente apontam que aproximadamente 19% do consumo de energia elétrica no mundo estão relacionados à iluminação e, especificamente no Brasil, este número sobe para 20%.

Como forma de amenizar o impacto deste grande consumo sobre a demanda de energia mundial, as tecnologias de iluminação estão voltadas cada vez mais para o aprimoramento dos Diodos Emissores de Luz (Leds, na sigla em inglês), componentes eletrônicos que permitem iluminar com economia de até 80% de energia, se comparados a outras tecnologias. Uma reportagem publicada na edição de março da Revista Lumière aborda a questão dos Leds e sua crescente utilização.

Lenn pelloc’h