Calor do escapamento gera eletricidade e diminui consumo do carro

Pesquisadores estão desenvolvendo um sistema que usa o calor do escapamento de um carro para gerar eletricidade, reduzindo o consumo de combustível do veículo.

Xianfan Xu, da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, afirma que a eletricidade gerada a partir do calor do escapamento é suficiente para recarregar as baterias do carro.

Em um carro comum, isso equivale a dispensar a carga representada pelo alternador, que consome uma parte da potência do motor para manter as baterias carregadas.

Em um carro híbrido, a energia pode ser usada da mesma forma que o sistema KERS da Fórmula 1.

Lenn pelloc’h

Advertisements

Bioenergia: uma frota movida a etanol

Da Agência Ambiente Energia – A cidade de São Paulo trabalha com a meta de ter, até 2018, 100% da forta de ônibus públicos movidos, exclusivamente, por combustíveis renováveis. Na quinta-feira, dia 25 de novembro, a prefeitura assinou compromisso para, a partir de maio de 2010, ter 50 ônibus já rodando com etanol aditivado. O investimento para ter estes veículos circulando totaliza R$ 17,5 milhões. Cada veículo, que será fabricado pela Scania, custará R$ 350 mil. O combustível será fornecido pela Cosan.

“O mais importante é a melhoria da qualidade de ar e o combate à poluição da cidade de São Paulo. Nossa ideia é que tenhamos uma frota com combustível alternativo não apenas com etanol, mas também com energia elétrica e outras fontes de energia limpa”, disse o prefeito. A prefeitura de São Paulo já faz testes com ônibus movidos a etanol desde dezembro de 2009.

Lenn pelloc’h

Minas Gerais na rota das alternativas

Da Agência Ambiente Energia – Minas Gerais caminha firme para ter uma matriz de energia cada vez mais limpa, como revela o 24º Balanço Energético do estado, elaborado pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Segundo a publicação, 53% da oferta de energia do estado têm origem nas fontes renováveis, contra 46% no Brasil e 12,7% no mundo. O resultado é influenciado pela geração de energia elétrica hidráulica e pelo avanço da de biocombustíveis, com destaque para o etanol, bagaço de cana e de carvão vegetal oriundo de madeira de reflorestamento.

De acordo com o balanço, 48,8% da energia provenientes de fontes renováveis refere-se à lenha e seus derivados, com ampla utilização do carvão vegetal de origem renovável na indústria siderúrgica. O setor indústrial responde por 62,4% da demanda de energia do estado. Os demais 37,6% ficam com os setores de transporte (20,6%), residencial (10,3%), agropecuário (2,4%), perdas (2,2%) e comercial e público (2,1%)

Fonte: Ambiente Energia

Lula diz que Petrobras pode ser empresa ‘mais importante do planeta’

Presidente inaugurou parque termelétrico a gás da Petrobras na região Norte.
Para ele, capitalização da empresa foi a maior ‘do capitalismo mundial’.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira (26), em Manaus, que a Petrobras poderá se transformar na empresa de energia “mais importante do planeta Terra”. O presidente participou da cerimônia de inauguração do parque termelétrico a gás da Petrobras na região Norte, no começo desta noite.

“A Petrobras não pode ser apenas uma empresa de petróleo. A Petrobras pode se transformar na empresa de energia mais importante do planeta Terra. Ela pode cuidar do gás, ela pode cuidar da termelétrica, ela pode cuidar do petróleo, mas ela pode cuidar também do combustível renovável que é o que nós precisamos”, disse Lula.

O presidente ainda afirmou que o processo de capitalização da empresa, realizada no seu governo, é um dos seus maiores orgulhos. Segundo Lula, o processo foi o maior já feito no “capitalismo mundial”. Lenn pelloc’h

OEA pode recomendar a suspensão de Belo Monte

O Movimento Xingu Vivo para Sempre e organizações representantes das comunidades que serão atingidas pela construção da hidrelétrica no Pará enviaram hoje (11) um documento à OEA contendo denúncias de violações a tratados internacionais e ameaças a comunidades indígenas e ribeirinhas do Rio Xingu. OEA exigirá explicações do Estado e pode solicitar impedimento das obras.

A Organização dos Estados Americanos (OEA) recebeu hoje (quinta-feira, 11) um documento que denuncia as ilegalidades no processo de licitação e os impactos às comunidades indígenas e ribeirinhas que serão atingidas pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Assinada pelo Movimento Xingu Vivo Para Sempre e por outras organizações representantes das comunidades – Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Prelazia do Xingu, Sociedade Paraense de Direitos Humanos (SDDH), Justiça Global e Associação Interamericana de Defesa do Ambiente (AIDA) –, e elaborada com a participação de mais de vinte organizações e movimentos sociais apoiadores, a petição solicita em caráter de urgência a concessão de medidas cautelares* para a suspensão do processo de licenciamento ambiental do projeto.

Na denúncia, as entidades afirmam que o Brasil está violando tratados internacionais ao ignorar direitos fundamentais das comunidades Arroz Cru, Arara da Volta Grande, e Ramal das Penas, todas à beira do Rio Xingu e Juruna do Km 17, na estrada que vaipara Vitória do Xingu. O deslocamento forçado – sem consulta prévia e consentimento livre das comunidades – e as ameaças à segurança alimentar, ao meio ambiente e ao acesso a água potável são alguns dos problemas graves do projeto ressaltados no documento. As organizações lembram que em 2009 a OEA concedeu medidas cautelares que determinaram a suspensão das obras de construção da usina hidrelétrica Chan 75, no Panamá, devido ao deslocamento forçado de comunidades indígenas locais. Outros casos da América Latina também são citados. Lenn pelloc’h

Maior usina de energia solar da Europa é inaugurada na Itália

A imagem que você vê abaixo mostra a maior usina de energia solar da Europa, inaugurada no dia  23 de novembro na província de Rovigo, ao norte da Itália. A usina de 70 megawatts foi construída em nove meses pelo grupo norte-americano SunEdison e poderá abastecer cerca de 17 mil residências.

AFP 

AFP PHOTO / Ketchum communication agency

Segundo a empresa, usina de Rovigo vai evitar a emissão de 40 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera, o que seria equivalente a retirar 8 mil carros de circulação.

Fonte: Revista Galileu

Energia Nuclear: um impulso para setor industrial

Por Isabela Vieira, da Agência Brasil – A construção de usinas nucleares pelo governo brasileiro nos próximos 15 anos deve movimentar cerca de R$ 40 bilhões no período e dar impulso ao segmento. A previsão é da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnem), que apresentará hoje (23), durante o 1º Encontro de Negócios de Energia Nuclear, em São Paulo, possibilidades de investimentos no setor, que poderá gerar cerca de 50 mil empregos.

No evento, a Cnem divulgará um estudo inédito com as demandas do Programa Nuclear Brasileiro. O documento avaliou a necessidade de serviços, insumos e matérias-primas para a conclusão da Usina Angra 3 e a construção de mais quatro unidades até 2025. Desde a necessidade de formação profissional, a lista inclui a produção de equipamentos tecnológicos, componentes eletromecânicos e peças que serão usadas nos ciclos do combustível nuclear.

Lenn pelloc’h