Nuclear: mais presença, menos emissões

Da Agência Ambiente Energia – A presença de 7,3 gigawatts (GWh) de energia nuclear no Sistema Interligado Nacional (SIN), entre 2005 e 2030, conforme previsão do Plano Nacional de Energia 2030, evitará o lançamento de 437 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera, o que significará uma redução de 19% das emissões. É o que mostra estudo divulgado pela Eletronuclear, feito pela Ecen Consultoria, que buscou comparar a emissão de CO2 na geração nuclear com outras fontes, analisando as emissões diretas e indiretas nos ciclos de combustível do petróleo, do gás natural, do carvão mineral e da produção de bagaço de cana.

Hoje, a participação desta fonte na matriz brasileira está na faixa de 2 GW. Angra 3, com 1,3 GW, e outros 4 GW previstos no PNE, referentes a mais quatro unidades, totalizarão 7,3 GW. Segundo o estudo, as emissões energéticas em 2006, no Brasil, seriam 3% maiores se, em vez da energia nuclear, a mesma participação de fontes fósseis estivesse gerando eletricidade.

Lenn pelloc’h

Advertisements

Novo carregador usa água para dar energia a smartphones

Dispositivo será apresentado pela primeira vez no FC Expo, no Japão, no próximo mês

 

Um novo dispositivo de carregamento de smartphones está chamando a atenção dos especialistas em tecnologia. Trata-se do AF-M3000, movido à água, que possui células de combustão e fornece energia para aparelhos portáteis por meio da oxidação de um combustível líquido.

Lenn pelloc’h

Energia Renovável: A revolução está na lei

O dia no Congresso Nacional em Brasília começou movimentado. Por volta das 9h ativistas do Greenpeace entraram em ação para pedir que os deputados federais votem o Projeto de Lei de Renováveis, paralisado desde o final de 2009 na Câmara Federal.

Quatro ativistas subiram ao lado da cúpula do Senado Federal para despistar os seguranças. No mesmo momento, um grupo de dez pessoas se organizou ao lado da cúpula da Câmara Federal e “plantou” uma torre eólica inflável de 25 metros, onde se lia a frase “Energia limpa. Voto no futuro”. Por duas horas os ativistas se mantiveram sentados no local. Quatro pessoas ficaram detidas na Sede da Polícia Legislativa do Senado. Dois fotógrafos da imprensa foram agredidos.

A reação intempestiva dos seguranças é um contraponto às intenções do Greenpeace: promover um desenvolvimento limpo e pacífico do país. O Projeto de Lei 630/03, de autoria do deputado Fernando Ferro (PT-PE), mais conhecido como Lei de Renováveis, é considerado a semente de uma revolução energética capaz de garantir o futuro de nosso país.

Lenn pelloc’h

Consumo de energia do Brasil crescerá 4,8% ao ano até 2020

Projeção, feita pela EPE, leva em conta expansão de 5% ao ano na economia brasileira

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) prevê que o consumo de energia do País crescerá 274 mil GWh ao longo dos próximos dez anos. No total, a demanda por energia elétrica passará de 456,5 mil para 730,1 mil GWh, em um ritmo médio de 3,8% ao ano. A projeção é parte de relatório técnico do órgão, divulgado nesta terça-feira (22/2).

O crescimento na carga durante o período será equivalente à atual demanda por eletricidade no México e próximo do atual consumo da Espanha. Segundo a EPE, o estudo levou em conta um crescimento da economia brasileira de 5% ao ano para nortear os cálculos.

De acordo com as expectativas da EPE, o consumo médio por consumidor residencial passará de 154 kWh/mês, em 2010, para 191 kWh/mês em 2020. O máximo histórico, porém, de 180 kWh/mês, observado antes do racionamento de 2001, somente será ultrapassado por volta de 2017. Lenn pelloc’h

Ceará:eólica,solar,e agora de olho no hidrogênio

Da Agência Ambiente Energia – A Universidade Estadual do Ceará (UECE) promoverá, nos dias 15 e 16 de março, em Fortaleza, o I Ciclo de Conferências: Hidrogênio e o Futuro Energético Sustentável do Estado do Ceará. O evento terá a participação de especialistas de países como França, Estados Unidos, Alemanha, representante da Câmara de Comércio Brasil/Portugal e Argentina. A iniciativa acontece por meio do Mestrado em Ciências Físicas Aplicadas (MCFA) da universidade.

Segundo o professor Lutero Carmo de Lima, presidente do encontro, o Ceará, devido às suas altíssimas potencialidades em termos de energias renováveis como a energia solar, energia eólica e também biomassa, não pode perder a oportunidade de participar doo desenvolvimento das tecnologias do hidrogênio como vetor energético principalmente porque o hidrogênio irá agregar valores às energias renováveis e irá também garantir o futuro energético sustentável para o estado. Lenn pelloc’h

Apagão no Nordeste pode reabrir debate sobre leis do setor de energia

O apagão que atingiu sete estados do Nordeste no início de fevereiro reacendeu a discussão sobre o que ainda precisa ser feito no país para manter estável o fornecimento de energia. Além da manutenção dos investimentos em infraestrutura, parlamentares e especialistas concordam sobre a necessidade de uma legislação mais clara sobre o tema.

A legislação brasileira que trata do setor de energia elétrica conta com centenas de normas, algumas delas das décadas de 30 e 40. A falta de sistematização dessas leis gera dúvidas não apenas para investidores, empresários e gestores da área como também para o consumidor.

Lenn pelloc’h

Saneamento: Procel inaugura laboratório no Paraná

Da Agência Ambiente Energia – A Eletrobras e a Universidade Federal do Paraná (UFPR) inauguram nesta terça-feira, dia 22 de fevereiro, o Laboratório de Eficiência Energética e Hidráulica em Saneamento (LENHS), que teve um investimento de R$ 800 mil. O laboratório foi implantado pelo Procel Sanear, subprograma do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) voltado para a eficiência energética em saneamento ambiental.

Lenn pelloc’h