Sensores inerciais levam controle por gestos para os robôs

Programar robôs nunca foi o que se poderia chamar de brincadeira de criança.

Mas talvez agora possa se tornar.

O pequeno dispositivo na mão do funcionário contém diversos sensores inerciais que dizem exatamente ao robô como se movimentar, em tempo real. Imagem: Fraunhofer

Imitação robótica

Engenheiros do Instituto Fraunhofer, na Alemanha, criaram um sistema que permite que o braço robótico imite o movimento de um braço humano: mova o seu braço, e o braço robótico imitará o movimento de forma praticamente instantânea.

Além de facilitar e flexibilizar o uso dos robôs industriais, o sistema está ajudando na programação de próteses ativas e exoesqueletos, equipamentos voltados para auxiliar pessoas com dificuldades motoras.

O teste do sistema parece brincadeira para uma criança, mas é uma verdadeira dor de cabeça para um programador de robôs: fazer com que um robô industrial seja capaz de pegar uma bola arremessada em sua direção.

O resultado é impressionante: conforme o usuário movimenta seu braço para pegar a bola, usando um dispositivo manual, o robô reproduz exatamente seu movimento, com toda a precisão necessária.

Lenn pelloc’h

GEE: estudo mede emissões de hidrelétricas

Do Planeta Coppe – A Coppe e a empresa canadense Hydro-Québec estão executando um projeto de medição de gases de efeito estufa em reservatórios de hidrelétricas, no Brasil e no Canadá. O objetivo é buscar um consenso para as metodologias utilizadas pelas duas instituições que, até o momento, estão na dianteira, em nível mundial, nos estudos voltados para medições de gases emitidos por usinas hidrelétricas. No Brasil, o projeto é coordenado por Marco Aurélio dos Santos, professor de Planejamento Energético da instituição.

Os pesquisadores canadenses Pierre David Beaudry e Julie Bastien, da empresa Environnement Ilimitè, ligados ao Departamento do Meio Ambiente da Hydro-Québec, estiveram no Brasil em fevereiro para, com a equipe do Programa de Planejamento Energético da Coppe, fazer medições no reservatório de Ribeirão das Lajes, da Light, em Piraí (RJ). Participaram da missão pela Coppe o professor Marco Aurélio e os pesquisadores do Laboratório de Energias Renováveis e Estudos Ambientais (Lerea) Alexandre de Abreu Marcelino, Cláudio Roberto da Silva e Marcelo Amorim, além de Ednaldo Oliveira dos Santos, do Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais (Ivig).

O tema é de grande importância para o Brasil e o Canadá, países com alto percentual de energia proveniente de hidrelétricas – respectivamente, 83% e 70% da matriz energética de cada um. Na província de Québec, na qual está sediada a empresa parceira da Coppe na pesquisa, as hidrelétricas chegam a responder por 90% da matriz. Lenn pelloc’h

Segurança energética e mudança climática

Por Ronaldo Bicalho* – Segurança energética e mudança climática são os dois grandes eixos em torno dos quais se estruturam atualmente as políticas energéticas no mundo.

Com isto, garantir o suprimento de energia e reduzir as emissões dos gases de efeito estufa tornaram-se grandes objetivos estratégicos dos Estados Nacionais no campo da energia, com reflexos significativos na composição desejada da matriz energética futura e na configuração das estratégias mais adequadas para alcançá-la.

Contudo, a avaliação das reais consequências da presença desses dois objetivos no cerne da política energética necessita de uma qualificação. Principalmente, no que diz respeito à maneira como os Estados Nacionais percebem, hierarquizam e introduzem em seu conjunto de políticas públicas esses objetivos; o que, ao fim e ao cabo, se traduz no volume de recursos que, de fato, esses Estados estão dispostos a mobilizar para alcançá-los. Lenn pelloc’h

Células a combustível a biodiesel chegam ao mercado

Célula de biodiesel

Um grupo de engenheiros de universidades e empresas da Noruega começou a testar uma tecnologia mista para a alimentação de carros elétricos e geração independente de energia elétrica.

Enquanto as quase perfeitas células a combustível a hidrogênio não chegam, os pesquisadores estão unindo uma célula a combustível “mais tolerante” com o biodiesel. Lenn pelloc’h

Ônibus a etanol em São Paulo

Da Agência Ambiente Energia – A frota da cidade de São Paulo ganhou nesta quinta-feira, dia 26 de maio, os 50 primeiros ônibus movidos a etanol fabricados pela Scania. A implementação dos novos ônibus é fruto do trabalho coordenado pelo Centro Nacional de Referência em Biomassa (CENBIO) no Projeto BEST (BioEtanol para o Transporte Sustentável).

Em São Paulo, o projeto realizou uma avaliação comparativa do desempenho de ônibus movido a etanol, fabricado pela Scania da Suécia, e do desempenho de ônibus diesel equivalente, movido exclusivamente a diesel, pertencente a uma operadora do sistema da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos do Estado de São Paulo (EMTU) e da São Paulo Transporte S.A. (SPTrans). Outras entidades envolvidas na realização do projeto foram a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (UNICA), Marcopolo S.A., SEKAB e Copersucar.

Os ônibus serão operados pela Viação Metropolitana, marcando o início da substituição da frota paulistana por ônibus movidos a combustíveis renováveis. A prefeitura de São Paulo tem como meta substituir toda sua frota, de 15 mil veículos, até 2018. De acordo com o professor José Roberto Moreira, idealizador e coordenador do Projeto BEST no Brasil, a substituição de toda a frota paulistana de ônibus por veículos movidos a etanol equivaleria a ter apenas 3 mil ônibus circulando na cidade, em termos de emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: Ambiente Energia

Rede elétrica inteligente poupará US$ 2 Tri

NOVA YORK – A modernização planejada para a rede nacional de energia dos Estados Unidos pode custar até 476 bilhões de dólares em 20 anos, mas oferecerá 2 trilhões de dólares em benefícios aos consumidores ao longo do período, de acordo com especialistas setoriais.

A rede elétrica dita “inteligente” economizará energia, reduzirá custos e propiciará maior confiabilidade ao distribuir eletricidade dos fornecedores aos consumidores com ajuda de comunicação de dados bidirecional que permitirá o controle de eletrodomésticos, o carregamento de veículos elétricos e o uso de fluxos de energia de fontes renováveis nos lares dos usuários.

“A implementação da rede inteligente é um processo contínuo. À medida que novas tecnologias sejam desenvolvidas e ganhem em cus Lenn pelloc’h

Situação nuclear da Alemanha pode levar a apagões

Berlim – As regiões ao sul da Alemanha poderão ser atingidas por apagões de eletricidade no inverno se as sete usinas nucleares que foram desligadas em março continuarem sem funcionar, disseram operadores das redes de energia.

Em carta enviada ao Ministério da Economia, obtida pela Reuters no domingo, os quatro operadores disseram que a energia importada não cobriria o déficit durante os meses mais frios, a não ser que alguns clientes fossem retirados da rede.

“Um fornecimento independente aos clientes está em perigo”, disseram as empresas Amprion, Tennet, 50hertz e a EnBW-Netze, acrescentando que será necessário aumentar em 2.000 megawatts a oferta – mais ou menos a capacidade de dois reatores nucleares – para garantir o fornecimento de energia quando a demanda aumentar no inverno. Lenn pelloc’h