Empresários divergem sobre impacto da redução de álcool na gasolina

Brasília – A decisão do governo de reduzir o percentual de álcool anidro que é misturado à gasolina pode dar mais segurança ao setor, na avaliação do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom). Por outro lado, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) informou que a decisão não vai alterar, na safra atual, a oferta de etanol no mercado doméstico porque o setor já vinha programando importações para garantir o abastecimento. Lenn pelloc’h

Advertisements

NASA construirá primeira usina nuclear para a Lua e Marte

Energia nuclear no espaço

Reatores nucleares para uso espacial não são exatamente uma novidade. Sondas espaciais de longa distância usam-nos há décadas.

O robô marciano Curiosidade, ou MSL (Mars Science Laboratory), será alimentado por seu próprio reator nuclear.

Em 2008, a NASA anunciou planos para desenvolver o projeto de uma usina nuclear na Lua.

  • NASA quer instalar usina nuclear na Lua

Agora parece que os planos vão começar a sair do papel, com o agendamento para 2012 da construção de uma “Unidade de Demonstração Tecnológica” de um reator nuclear espacial.

A notícia foi dada pelo coordenador do projeto, professor James E. Werner, do Laboratório Nacional Idaho, nos Estados Unidos.

Lenn pelloc’h

A opção ainda é suja

Os Estados Unidos apostam no gás de xisto como substituto do petróleo e do carvão na fase de transição rumo às energias limpas

Enquanto o Brasil discute os rumos do petróleo na camada do pré-sal e lida com a alta do etanol, potências como os Estados Unidos correm contra o tempo para reequilibrar suas balanças energéticas sem deixar de lado as metas de redução de gases poluentes. A bola da vez é o gás de xisto, considerado um combustível até duas vezes mais limpo que o carvão mineral. Não por acaso, a revista “Time” dedicou a capa de sua edição da semana passada ao recurso natural, sob o título “Esta rocha poderia energizar o mundo”.

O maior empecilho para o gás de xisto é o seu custo, bem superior ao da concorrência. Ainda assim, o crescimento do interesse por energias limpas, somado à descoberta de novas reservas do combustível nos EUA, pode turbinar a fonte energética. Trocando em miúdos, ela é a mais forte candidata a opção número 1 na transição entre a suja era do petróleo e um futuro verde, assim como o nosso etanol. Lenn pelloc’h

Projeto de pesquisa da Aneel em energia solar atrai 95 empresas

Companhias de todas as áreas do setor elétrico apresentaram interesse na chamada pública para geração fotovoltaica.

Crédito: GettyImages

Embora ainda esteja engatinhando no País, o setor de energia solar tem atraído cada vez mais atenção dos agentes de mercado. Prova disso é o resultado de uma chamada pública aberta pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) na área de geração fotovoltaica. Um documento do órgão regulador apontou que 95 empresas mostraram interesse em participar do programa. Lenn pelloc’h

Carro conceito com painel solar integrado vence concurso da Mazda

Sempre de olho no futuro e no uso de energias limpas e renováveis em veículos, a Mazda, em parceria com o The Aurora Vehicle Association, elegeu como vencedor do concurso Aurora Survivor 2050 o modelo desenvolvido pelo designer Ali Jafari: o Solaris Concept Car.

Solaris Concept Car. (Foto: Divulgação) Lenn pelloc’h

Sapatos usam nova técnica para gerar energia para aparelhos portáteis

Sapatos energéticos

Há poucos dias, pesquisadores apresentaram um sapato-gerador, capaz de produzir energia usando músculos artificiais. O Dr. Tom Krupenkin e seu colega J. Ashley Taylor, da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, também estão de olho nos sapatos, mas adotaram uma técnica diferente. Krupenkin e Taylor trabalham há bastante tempo com a manipulação de gotas de líquido em nanoescala, o que os levou a desenvolver um material anti-congelante e outro capaz de repelir virtualmente qualquer líquido. Em outra linha, pesquisadores vêm trabalhando há bastante tempo com um fenômeno chamado eletroumectação, a capacidade de controlar eletricamente como os líquidos interagem com superfícies sólidas, o que tem rendido bons frutos na área de papel eletrônico e telas flexíveis. O que os dois pesquisadores fizeram foi inverter esse processo, criando a “eletroumectação reversa”. Lenn pelloc’h

FIA quer carros elétricos nas corridas automobilísticas até 2013

   Uma das coisas mais emocionantes em uma corrida nos moldes da Fórmula 1 é o ronco dos motores de combustão. Mas você abriria mão deste prazer em nome de uma competição menos poluente, só com carros elétricos? Jean Todt, dirigente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), acredita que a troca vale a pena. O dirigente disse ao jornal “Financial Times” que quer uma categoria exclusiva de carros elétricos nas corridas até 2013.

Lenn pelloc’h