Google registra patente de óculos de realidade aumentada

Google mostrou protótipo de óculos do futuro, que usa realidade aumentada e pode acessar a web. Foto: Divulgação

Google mostrou protótipo de óculos do futuro, que usa realidade aumentada e pode acessar a web

A gigante de buscas Google patenteou a tecnologia por trás de seus óculos de realidade aumentada, conhecido como Project Glass. Três patentes de um “dispositivo de exibição” para usar no rosto, com características dos muito falados óculos futuristas foram submetidos a autoridades no último outono (no Hemisfério Norte).

As patentes fazem referência a funções como a exibição de dados diante dos olhos do utilizador e reprodução de áudio. Em abril, o Google revelou detalhes de sua pesquisa sobre os óculos e mostrou um vídeo de demonstração do protótipo. Lenn pelloc’h

Advertisements

Avanço sólido das células solares orgânicas

Baratas e flexíveis

O eletrólito de estado sólido dá durabilidade a estas que são as mais promissoras células solares, com potencial para impulsionar o uso da energia solar.

As células solares fotovoltaicas, feitas de silício, são eficientes, mas não são baratas.

Suas competidoras mais promissoras são as células solares orgânicas, que, de certa forma, imitam a fotossíntese.

Elas podem ser muito mais baratas do que as células solares de silício porque podem ser fabricadas por impressão, e podem ser impressas sobre superfícies flexíveis, adaptando-se melhor à arquitetura das construções e dos objetos.

Esse tipo alternativo de célula solar também é conhecido pela sigla DSC (Dye-Sensitized Solar Cells – células solares sensibilizadas por corantes), ou como células solares de Gratzel. Lenn pelloc’h

Quando os biocombustíveis roubam a comida

A crise alimentar, agravada pelo uso do milho e de outros grãos na produção de etanol, foi um dos assuntos centrais abordados nos passados dias 17 e 18, na capital mexicana, pelos vice-ministros de Agricultura do Grupo dos 20 países industriais e emergentes.

Este bloco reúne os países industrializados do Grupo dos Oito (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Japão, Itália e Rússia), a União Europeia e economias emergentes como Brasil, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, África do Sul e Turquia.

O impacto desta questão na humanidade é analisado pela pesquisa “Agrocombustíveis: alimentadores da fome” e reflete como as políticas dos Estados Unidos para o etanol de milho aumentam o preço dos alimentos no México. A pesquisa foi apresentada no dia 16, patrocinada pelo escritório norte-americano da organização não governamental ActionAid International. Lenn pelloc’h

Custo de construção de eólicas caiu 45% desde o Proinfa, estima BNDES

Banco também divulga ranking de fornecedores eólicos após primeiros certames com eólicas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estima que o investimento necessário para construir cada MW de um parque de geração de energia eólica no Brasil caiu 45% desde os tempos do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). A iniciativa, lançada em 2002 pelo governo federal para contratar as primeiras usinas da fonte no País, tinha um custo médio de R$6 milhões por MW instalado. No leilão A-5 do ano passado, que viabilizou quase 1GW eólico, tal valor ficou em R$3,3 milhões por MW. Lenn pelloc’h

Avião movido a energia solar faz primeiro voo intercontinental

Aeronave foi desenvolvida com a expertise técnica, polímeros de alta tecnologia e materiais leves de armazenamento de energia da Bayer MaterialScience, parceira oficial do projeto.

São Paulo – O Solar Impulse, avião movido a energia solar, faz um voo histórico. Hoje a aeronave deu início a sua primeira viagem intercontinental, em trajeto entre a Europa e a África. Esta é a segunda experiência do Solar Impulse e o mais longo voo também. Em 2011, a aeronave realizou voo teste da Suíça para França e Bélgica. Lenn pelloc’h

Peixe-robô chama a atenção para a poluição das águas

Movimento oscilante

Pesquisadores lançaram às águas um peixe-robô amarelo que realmente é capaz de chamar a atenção.

Projetado para monitoramento da qualidade das águas, o robô se diferencia dos inúmeros outros projetos de peixes-robôs e dos robôs submarinos por um sistema de propulsão por braço oscilante.

Embora tente imitar um peixe, os animais têm um sistema de locomoção bem mais complexo, que inclui a oscilação de todo o corpo, coordenada com o movimento das barbatanas.

A propulsão do novo robô está para o nadar de um peixe assim como o voo de um pássaro está para o voo de um avião.

Contudo, simulações em computador têm mostrado que projetos mais avançados de peixes-robôs podem ser altamente eficientes, levando alguns cientistas a falarem em substituir as hélices na propulsão de navios. Lenn pelloc’h