Energia francesa alimenta competições de Londres

Cabo submarino de 70 quilômetros saido de Paris dá suporte à festa, e teve sua capacidade ampliada bem a tempo para a cerimônia de abertura da sexta-feira.

Calais – Paris foi derrotada na disputa para sediar a Olimpíada de 2012, mas a França está de certa maneira fazendo sua parte pelos Jogos de Londres, ao fornecer eletricidade por meio de um cabo submarino de 70 quilômetros, que teve sua capacidade ampliada bem a tempo para a cerimônia de abertura da sexta-feira.

A obra de 90 milhões de euros (110,7 milhões de dólares) durou dois anos e foi concluída na semana passada. A estrutura entre Folkestone, na Inglaterra, e Sangatte, na França, tem 25 anos de idade, e estava propensa a defeitos.

“Esse é um investimento para os próximos 25, 30 anos, tinha de ser feita de qualquer forma. Mas nosso objetivo era estar pronto para os Jogos”, disse Dominique Houdard, diretor regional da distribuidora elétrica francesa RTE, a jornalistas nesta semana.

Com capacidade para 2.000 megawatts, suficiente para atender 2 milhões de pessoas, a conexão IFA 2000 entrou em atividade em 1986, ligando pela primeira vez as ilhas britânicas à rede elétrica do continente europeu. Lenn pelloc’h

IPT terá fabrica para gaseificação de biomassa

São Paulo – Prover os dados necessários para estabelecer um projeto conceitual de uma planta industrial de gaseificação com capacidade de processar 400 mil toneladas anuais de bagaço e palha de cana-de-açúcar é o objetivo do projeto da planta piloto do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em Piracicaba. Lenn pelloc’h

5 incríveis transportes movidos a energia solar

Solartaxi

Apesar de também ser um carro movido a energia solar, o objetivo do Solartaxi não é bater recordes de velocidade. Ele tem a aparência de um carro esportivo, mas sua velocidade máxima é de 90 km/h.
Para a construção, Louis Palmer contou com a ajuda de várias universidades e institutos de pesquisa da Suíça. O veículo funciona com a bateria Zebra. Ela é 100% reciclável, feita de sal, cerâmica e níquel, produzida num tamanho menor para caber no carro. Lenn pelloc’h

Notícias»Tecnologias verdes Ministério volta a pedir anulação da licença de Belo Monte

 O Ministério Público Federal (MPF) pediu mais uma vez à Justiça a anulação da licença de instalação da Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). Na ação cautelar, os procuradores da República alegam que as ações obrigatórias de prevenção e redução dos impactos socioambientais do projeto não estão sendo cumpridas pela Norte Energia, responsável pela obra. Lenn pelloc’h

Circuitos neurais vivos são criados em laboratório

Redes neurais vivas

Os cientistas estão tentando usar memristores para criar circuitos neurais que façam uma interligação mais tranquila entre o eletrônico e o biológico.

Tudo pode ser mais fácil, incluindo o aprendizado sobre o funcionamento de coisas como o nosso cérebro, se for possível usar células neurais vivas.

A partir daí, os cientistas poderão isolar os mecanismos básicos e construir, por exemplo, cérebros robóticos capazes de aprender, mesmo que façam isso com componentes semicondutores inorgânicos.

Há muitas equipes tentando fazer isso, mas não é nada fácil – senão impraticável – pegar neurônios, um por um, e criar uma rede com eles, como se criam circuitos eletrônicos com transistores. Lenn pelloc’h

Las Vegas ganha o maior prédio feito de garrafas do mundo

A cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos, acaba de ganhar o maior prédio feito de garrafas recicladas do mundo. Ele foi construído em uma área de 2500 metros quadrados.

Para a construção do Morrow Royal Pavilion foram coletadas e reaproveitadas mais de 500 mil garrafas de cerveja consumidas na região. Mesmo assim, ele não aparenta ter sido fabricado com garrafas em sua estrutura. Lenn pelloc’h