BNDES aprova R$ 22,5 bi para financiar Belo Monte

belo-monte-20121126201522Rio de Janeiro – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 22,5 bilhões para a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). A decisão, tomada na última reunião da diretoria do banco na semana passada, foi anunciada em coletiva de imprensa.

A chefe do Departamento de Energia Elétrica do BNDES, Márcia Leal, disse que se trata do maior investimento já aprovado pela instituição. O valor total do empreendimento é R$ 28,9 bilhões. A diferença de R$ 6,4 bilhões virá de aportes da própria Norte Energia, concessionária da usina.

“Belo Monte é a terceira maior hidrelétrica do mundo em capacidade instalada, com 11.233 megawatts (MW), atrás da chinesa Três Gargantas e da Itaipu Binacional, então, em termos nacionais, é o maior projeto. Leva nove anos para ser implantado, mas começa a gerar energia a partir do quinto ano, a partir de fevereiro de 2015, e a previsão é que se conclua na sua plenitude em janeiro de 2019”, explicou. Lenn pelloc’h

Advertisements

SP ganha sua primeira usina de energia solar

Primeira usina do estado absorveu investimentos de R$ 13,8 milhões em pesquisa e desenvolvimento

A primeira usina de energia solar fotovoltaica do estado de São Paulo foi inaugurada nesta terça-feira em Campinas. Localizada em uma área de 13.700 m², a usina de Tanquinhos, construída pelo Grupo CPFL, vai gerar aproximadamente 1,6 GWh por ano – o suficiente para abastecer mensalmente 657 residências com um consumo médio de 200 KWh/mês.

Num primeiro momento, a energia gerada a partir dos painéis fotovoltaicos que transformam a luz solar em eletricidade será usada para abastecer integralmente uma empresa da região. A expectativa é que a usina passe a integrar a rede de abastecimento dos clientes da empresa a partir de 2013. Lenn pelloc’h

Nível do mar sobe 60% mais rápido do que estimou o IPCC, diz estudo

Em um estudo publicado nesta quarta-feira (28) no periódico científico “Environmental Research Letters”, revelou-se que a elevação do nível do mar provocada pelo aumento da temperatura do planeta estaria mais acelerada que o estimado em 2007 pelo grupo de climatologistas da ONU, no Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

A investigação mostrou que, atualmente, o nível dos oceanos tem uma taxa de elevação de  3,2 mm ao ano, a qual é 60% superior à projeção do IPCC, em 2007. O relatório dos cientistas, baseado em dados de 2003, previa uma elevação de 2 mm ao ano.

“Eu diria que um metro de elevação do nível do mar até o fim do século é provavelmente próximo do que se encontraria se você consultasse as pessoas mais informadas a respeito”, alegou Grant Foster, um dos autores do estudo.

Foster acrescentou ainda que em terras baixas nas quais há um grande número de pessoas vivendo no limite de um metro do nível do mar, pode haver o desaparecimento da terra que sustenta essa população e haverá centenas de milhões de refugiados climáticos.  Lenn pelloc’h

Fio de cabelo pode gerar energia renovável

Cinco estudantes do Nepal descobriram que os fios de cabelo podem gerar energia fotovoltaica e acreditam que essa pode ser a fonte renovável mais barata do mundo.

Segundo o portal de notícias Daily Mail, os adolescentes fizeram uma experiência para descobrir esse gerador de energia alternativa. Comandados por Milan Karki, eles começaram em um vilarejo da zona rural do país asiático, na própria casa do estudante. O objetivo de Karki era audacioso: descobrir algum método para gerar eletricidade para a sua própria casa e, futuramente, para o vilarejo onde vive e até mesmo para outros países.

Lenn pelloc’h

País implantou todos instrumentos para evitar apagões, diz ministro

 

Brasília – O ministro em exercício do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann, disse hoje (20) que o país implantou “todos os instrumentos para evitar” apagões como os ocorridos no governo de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002).

“O Brasil implantou sistemas de planejamento e monitoramento que implicam reduzir aqueles riscos e eliminar a experiência ruim que o Brasil teve em 2001 e 2002. Todos os instrumentos foram feitos para evitar isso”, disse após audiência pública no Senado. Lenn pelloc’h

ONS e engenheiros debatem setor elétrico brasileiro

Federação Nacional dos Engenheiros reúne especialistas em seminário sobre MP 579.
No momento em que a Medida Provisória 579 e seus efeitos estão no foco da discussão em todo o país, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) promove um debate para analisar seu impacto no abastecimento de energia elétrica no Brasil nas próximas décadas. O seminário “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento: Energia” acontece na próxima segunda-feira (26), em São Paulo e terá a presença, entre outros, do presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Hermes Chipp, e do relator da MP 579 na Câmara, deputado federal Carlos Zaratini (PT/SP).
Lenn pelloc’h