Energia das marés: Maremotriz

A energia das marés, também chamada de energia maremotriz, é captada por meio do aproveitamento da energia resultante do desnível das marés. Para que essa energia seja se torne eletricidade é necessária a construção de barragens, eclusas (permitindo a entrada e saída de água) e unidades geradoras de energia. O sistema utilizado é parecido com o de uma usina hidrelétrica. As barragens são construídas próximas ao mar, Os responsáveis pela captação de água durante a alta da maré são os diques.

Depois de ser armazenada a água é liberada e, em seguida, é liberada durante a baixa da maré, passando por uma turbina, assim é gerada a energia elétrica. Nos oceanos existem desníveis no solo abaixo da água. Instalando barragens e um sistema de geradores é possível obter energia elétrica. A água é represada durante o período de maré alta num reservatório instalado no oceano (geralmente próximo ao litoral). Quando a maré está baixa a água sai e movimenta as turbinas. Um sistema de conversão torna possível a geração de energia elétrica.

Lenn pelloc’h

Advertisements

Metais elásticos estendem possibilidades da eletrônica flexível

A eletrônica flexível, que tem produzido peles eletrônicas e tecidos inteligentes, promete muito mais.

O material é produzido na forma de folhas, facilitando o desenvolvimento dos circuitos, que não precisam ser montados fio por fio.

O material é produzido na forma de folhas, facilitando o desenvolvimento dos circuitos, que não precisam ser montados fio por fio.

Para isto, a plataforma conta com técnicas como fios muito finos montados em estruturas semelhantes a molas, redes de nanofios e metais líquidos.

Mas nenhum deles se compara à elasticidade de um material fabricado por Yoonseob Kim e seus colegas da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Lenn pelloc’h

Brasileiros desenvolvem robôs que entendem emoções

Brasileiros querem desenvolver robôs que entendem emoçõesPesquisadores da Escola Politécnica da USP estão se preparando para participar de um esforço mundial de criar uma nova geração de máquinas capazes de auxiliar os seres humanos em suas tarefas diárias.

Na área emergente da “Computação Afetiva”, o objetivo é criar robôs ou agentes de software que possam se lembrar dos aniversários ou mesmo de fazer uma ligação importante, indo além dos assistentes de voz que já existem para celulares e computadores.

O primeiro desafio a ser enfrentado pela equipe será desenvolver um algoritmo capaz de reconhecer a emoção de seres humanos em diferentes meios, como vídeo, áudio e até redes sociais.

Para se ter ideia do tamanho do problema, um estudo recente mostrou que a frase “Eu sou um homem”, pode ter 140 significados diferentes, dependendo do contexto, momento e entonação – e este é apenas um dos muitos exemplos. Lenn pelloc’h

Dois anos depois, UHE Belo Monte tem 30% das obras concluídas

Image

Visão do circuito de geração da usina

No dia 23 de junho de 2011 o consórcio construtor da usina de Belo Monte (CCBM) começava a instalar o primeiro canteiro de obras daquela que será a maior hidrelétrica 100% brasileira em potência instalada, no Rio Xingu, no Pará. Pouco mais de dois anos de passaram e 30% das obras estão concluídas. No início do ano, a Norte Energia entregou o Sistema de Transposição de Embarcações (STE) e em abril recebeu o primeiro equipamento eletromecânico – parte da estrutura que vai receber a Unidade Geradora 01.

Segundo a Norte Energia, responsável pelo empreendimento, mesmo depois de várias invasões aos canteiros de obras nesse período – que por vezes provocou a paralisação dos trabalhos -, o cronograma original está mantido, com a previsão de início da operação da primeira turbina, no Sítio Pimental, em fevereiro de 2015.

Lenn pelloc’h

Nova ferramenta identifica usuário pelo jeito de digitar

 

79771_460x270_0342239001374938065Biometria percebe modo de usar teclado e evita fraudes

 

A máxima de que ‘cada um tem seu jeito’ é o que orienta a nova tecnologia de segurança de biometria comportamental. Desenvolvida em parceria entre Brasil e Canadá, a ferramenta identifica o modo único que cada usuário de computador tem de digitar e de usar o mouse, e cria com essas informações uma espécie de ‘login’ comportamental.

“Comportamento é uma coisa legal, porque duas pessoas não têm comportamento igual”, resume Marcelo Camelo, diretor de Novos Negócios da GlobalMinds, a companhia brasileira que ajudou a desenvolver o sistema. A parceira canadense, a empresa PluriLock, criou os modelos matemáticos, e a verde-amarela desenvolveu a metodologia de implantação e testes.

“É mais ou menos a mesma origem da análise da caligrafia”, explica o diretor. “Um perito avalia se a pessoa parou no meio de uma letra, onde interrompe a escrita, se escreve continuamente. A partir disso, consegue ver se estão imitando uma assinatura ou se ela é legítima. Isso é comportamento também”, acrescenta.

Lenn pelloc’h

Está pronto o primeiro BIOS para computadores quânticos

010150130724-memoria-quantica-solida-4Embora já exista um tipo de computador quântico no mercado, os cientistas continuam trabalhando com afinco em busca dos “computadores quânticos puros”, sem qualquer hibridização com a eletrônica atual.

Contudo, qualquer que seja a abordagem, para serem práticos e viáveis, os paralelos são inevitáveis, já que os computadores quânticos precisam de elementos que façam as vezes dos componentes eletrônicos tradicionais.

Nesse esforço, um grupo das universidades de Sidney (Austrália) e Dartmouth (EUA) acaba de idealizar um novo tipo de memória quântica que permite guardar os dados por um longo período, e sua posterior recuperação com baixo período de latência.

É uma espécie de BIOS para computadores quânticos, o programa de baixo nível que coordena o hardware e permite que os aplicativos rodem sem se preocupar em como funciona a memória ou o disco rígido, por exemplo.

Lenn pelloc’h

Apetite global por energia subirá 56% até 2040

size_590_Shangai

Emissões associadas à geração e consumo de energia deverão crescer 46% nas próximas décadas

O consumo mundial de energia vai crescer 56% até 2040, prevê um novo relatório Agência Internacional de Energia (AIE), divulgado nesta quinta-feira. A maior parte desse incremento virá de países de fora da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), onde o apetite energético é estimulado pelo rápido crescimento econômico, como China, Índia, Brasil e África do Sul.

Apesar das energias renováveis e nuclear serem as fontes que mais crescem no mundo, com expansão de 2,5% por ano, o documento International Energy Outlook 2013 (IEO2013) estima que os combustíveis fósseis continuarão a fornecer cerca de 80% da demanda mundial nos próximos trinta anos.

Lenn pelloc’h