Políticas energéticas brasileiras

 

O mundo utiliza 81% de combustíveis fósseis, e apenas 13% de fontes renováveis. Em contrapartida, o Brasil utiliza 53% de combustíveis fósseis em relação aos 81% da média mundial e 45% de fontes renováveis em comparação aos 13%.

A energia é uma questão estratégica que deve ser tratada com cautela pelo governo de um país. As agências governamentais responsáveis pelas questões energéticas no Brasil são:

Ministério de Minas e Energia, que auxilia o exercício do Poder Executivo, cria normas, acompanha e avalia programas federais e implanta políticas para o setor energético;

Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), com a atribuição de propor ao Presidente da República políticas nacionais e medidas para o setor;

secretarias de Planejamento e Desenvolvimento Energético; de Energia Elétrica; de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis; a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que tem por finalidade prestar serviços na área de estudos e pesquisas destinadas a subsidiar o planejamento do setor energético.

O Ministério de Minas e Energia tem ainda como autarquias vinculadas, as agências nacionais de Energia Elétrica (Aneel) e do Petróleo (ANP) e o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).

Há ainda vários outros órgãos governamentais que cuidam de assuntos relacionados à energia brasileira e que sugerem alterações no modo como exploramos e utilizamos a mesma, visando o “melhor” para o futuro do país. A grande questão é a eficiência e o foco dessas ações.

Atualmente, prosseguir a reestruturação do setor da energia será uma das questões fundamentais para garantir investimentos em energia suficiente para atender a crescente necessidade de combustíveis e da eletricidade. Será que as ações políticas)do governo nessa área são feitas visando um futuro sustentável?

0 thoughts on “Políticas energéticas brasileiras

  1. Programa Luz para todos atendeu 1,3 milhão de famílias no Nordeste

    Das 13,6 milhões de pessoas atendidas em todo o Brasil o nordeste se destaca com cerca de 6,7 milhões de ligações feitas, ou seja são mais de 1,3 milhões de famílias que agora contam com energia elétrica em casa.

    Rapidamente já se pôde observar o crescimento na economia gerado pelo programa, segundo o Ministério de Minas e Energia pesquisas apontam que 79,3% dos entrevistados adquiriram televisores e 73,3% passaram a ter geladeiras. Sem falar nas que compraram liquidificadores, ventiladores, bomba d’ água etc. Cerca de 5% das famílias afirmaram que voltaram ao campo depois da chegada da energia. Isso significa que 130,7 mil famílias saíram dos grandes centros retornando ao meio rural.

    Ou seja o programa por onde passa tem melhorado o vida de milhares de pessoas e ainda contribuindo para o crescimento econômico das regiões menos favorecidas.

    • “segundo o Ministério de Minas e Energia pesquisas apontam que 79,3% dos entrevistados adquiriram televisores e 73,3% passaram a ter geladeiras. Sem falar nas que compraram liquidificadores, ventiladores, bomba d’ água etc.“ muito “blablabla“ o trecho. Mas onde esta a sustentabilidade nisso tudo ai ? se importaram com o conforto e o resto que se dane ? da onde vem essa energia ? quais as conseqüências? Ouvir das pessoas se houve melhora para elas, é muito egoísmo.

      • TA FICANDO DOIDO MANOLO? DE ONDE VC QUE QUE VELHA ESSA ENERGIA? TIPO, o governo deveria ter desemvolvido uma usina de energia eolica so para atender essas pessoas? não espera, talvez paineis solares ou quem sabe produzir energia nuclear. kra, então vc axa que essas pessoas não teriam direito a energia somente pelo fato do aumento do consumo eletrico? ….

  2. Partindo da ideia de que é sustentabilidade, de acordo com a Wikipédia, é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações, ou seja, a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável.

    Sendo assim, podemos verificar a incoerência que nos permiti dizer que a ideia é muito boa , mas não atende a necessidade e objetivos do País no mercado internacional. Além disso as medidas e projetos ficam no papel e não são colocadas em prática. Pois, entre os objetivos da Política Energética brasileira estão o da preservação do interesse nacional e ampliação da competitividade do País no mercado internacional. Essa deve ser a primeira norma observada na elaboração de políticas para o setor. Sabemos que os recursos energéticos ocupam posição estratégica no desenvolvimento econômico de um país. Em verdade, principalmente na atual fase de nosso desenvolvimento produtivo, é impossível desvincular o crescimento econômico da demanda energética. O setor energético já demonstrou sua importância estratégica na economia e sua importância para a segurança nacional e o que pode oferecer para a população. Resta garantir que o governo, assegure a sustentabilidade da atividade, ou seja, que o mesmo possa, ao mesmo tempo, atingir sua finalidade econômica, com a qual se relaciona a questão social e ambiental, e sua finalidade lucrativa.

    Mas será que as empresas se preocupam realmente com o meio ambiente ? Vamos citar a 3º maior empresa de energia do mundo : PETROBRAS.

    A PETROBRAS, em suas declarações diz que é possível explorar e produzir petróleo respeitando o meio ambiente. Segundo, a palestra realizada pelo colaborador da Petrobras, no anfiteatro da UFJF, realizada no dia 22/09/2011, eles apoiaram projetos ambientais – de 2003 a 2008, e criaram o Programa Petrobras Ambiental, no qual investiram mais de R$ 210 milhões . Mas, sabe quanto é o valor de investimento da Petrobras, aproximadamente, por ano ? R$ 76 BILHOES, e desse valor APENAS R$ 210 milhões foram destinados para a área ambiental. Em porcentagem quase 0.27% do investimento total deles . Brincadeira? NÃO; realidade !

    E ainda vem nos dizer que estão visando um futuro mais sustentável? Será que essa “mixaria “ que a PETROBRAS investiu, é capaz de suprir os danos causados no meio ambiente, por eles, diretamente ou indiretamente, desde a criação desta, em 1953 ?

  3. Sim esse fado é verdade (“segundo o Ministério de Minas e Energia pesquisas apontam que 79,3% dos entrevistados adquiriram televisores e 73,3% passaram a ter geladeiras. Sem falar nas que compraram liquidificadores, ventiladores, bomba d’ água etc.“), mas os projetos do Ministerio de Minas e Energia sao para um consumo sustentavel de energia, ultilizando principalmente fontes renovaveis, e implementaçao das ja existentes para evitar maior desgaste ambiental.

    • Como se evita o desgaste ambiental provocado pelo alagamento de 516 Km², o equivalente a um terço da cidade de São Paulo? Como recuperar a região pleiteada pela obra, que apresenta incrível biodiversidade de fauna e flora? No caso dos animais, o EIA aponta para 174 espécies de peixes, 387 espécies de répteis, 440 espécies de aves e 259 espécies de mamíferos, algumas espécies endêmicas (aquelas que só ocorrem na região), e outras ameaçadas de extinção.
      Que política energética é essa?

      • O tópco acima, refere a Usina de Belo Monte que por ordem da justiça Federal do Pará está com as obras parcialmente paralisadas.

  4. Entre os objetivos da Política Energética brasileira estão o da preservação do interesse nacional e ampliação da competitividade do País no mercado internacional . Essa deve ser a primeira norma observada na elaboração de políticas para o setor. Sabemos que os recursos energéticos ocupam estratégica posição no desenvolvimento econômico de um país. Em verdade, principalmente na atual fase de nosso desenvolvimento produtivo, é impossível desvincular o crescimento econômico da demanda energética.
    Da adequação entre atividade econômica e proteção ao meio ambiente nasce o conceito de desenvolvimento sustentável.desenvolvimento sustentável é um processo que permite o desenvolvimento sem degradar ou esgotar os recursos que o tornam possível. Para tal, gerem-se os recursos de modo a que estes possam se regenerar ao mesmo ritmo em que são utilizados, ou passando a utilizar, em vez de recursos que se regeneram lentamente, um recurso que se regenere mais rapidamente. Desta forma, os recursos podem servir as gerações presentes e futuras.

    • O Brasil tem espaço para crescer em outros setores de energia limpa como no aproveitamento da energia eólica, das marés, solar, biocombustíveis dentre outras. Ele não necessita tanto utilizar energias provindas de usinas nucleares quanto outros paises e ao invés de criar grandes usinas hidrelétricas que trazem um grande impacto ambiental por que não incentiva mais as pch’s que não projudica tanto quanto as grandes usinas. O país precisa de crescer e apesar das usinas hidrelétricas ser uma fonte de energia renovável, como as gerações presentes e futuras poderão usufruir das cachoeiras e faunas inundadas pelas grandes barragens?

      • (adicionando ao comentario do Silvio, sobre usina nuclear). Além disso, as usinas nucleares sao as mais perigosas. Quem nao se lembra da usina nuclear Chernobyl ,maior incidente nuclear de todos os tempos, em 26 de abril de 1986, na Uniao Sovietica ? liberando uma nuvem de radiação — 100 vezes maior que a das bombas de Hiroshima e Nagasaki .Nao faz muito tempo, tivemos outro acidente, só que no Japão, na usina de Fukushima, 11 de março de 2011. E segundo a especialista, Natalia Mironova, o incidente em Fukushima pode ultrapassar o incidente de Chernobyl. Portanto ela adverte “As ambições nucleares destruíram a União Soviética enquanto Estado. Veremos o que ocorrerá ao Japão“

    • nao compreendi nada que voce disse… Nós sabemos quais sao os objetivos da politica energetica e o que é desenvolvimento sustentavel. Acho que voce(s) nao leram o primeiro post.A discussao é sobre “Será que as ações políticas do governo nessa área são feitas VISANDO um futuro sustentável?“. Ou seja, o que voce postou ai, é historinha pra boi durmi !

  5. Hoje em dia a Política Energética do Brasil, depois de algumas reformas, vem se tornando uma política extremamente eficiente. As políticas adotadas atualmente pelo governo se concentram principalmente na melhoria da eficiência energetica nos setores residenciais e industriais, bem como o aumento de energias renováveis. Uma prova que essa política de dar mais prioridade às energias renovaveis é que o Brasil, hoje em dia, é o segundo maior produtor de Etanol do mundo. As energias renováveis no país hoje representa 85,4% da energia produzida, segundo dados do Balanço Energético Nacional. Isso sim é uma grande conquista, levando em consideração que muitos países desenvolvidos ainda dependem muito do petróleo. Vale lembrar que um dia o petróleo acaba, e aí que se destaca os países que hoje em dia mantém uma política eficiente de energia. A energia eólica já é bastante utilizada em alguns estados do Nordeste. No quesito biodiesel, o Brasil também toma vantagem frente o mundo. Alguns sacríficios são necessários para se obter bons resultados a médio-longo prazo para que no futuro o Brasil seja uma superpotência energética.

    • Como dito pelo grupo D :” o Brasil, hoje em dia, é o segundo maior produtor de Etanol do mundo.” Mas será que toda essa produção não causa impactos?
      Um dos principais questionamentos à adoção do etanol como alternativa energética é a necessidade de uso de grandes extensões de terra para a produção vegetal.
      O uso dessas terras afetaria indiretamente a produção de outros vegetais, principalmente de alimentos, podendo encarecer consideravelmente tais produtos e ampliando problemas como a fome nas regiões ou países produtores.
      Como exemplo, Pernambuco tem uma relação histórica com o cultivo da cana-de-açúcar e a produção de seus derivados. A atividade marcou profundamente a história, paisagem e relações sociais da zona da mata do Estado. Com relação ao paradigma da inesgotabilidade dos recursos naturais: vem a idéia desde o período colonial, que sempre se pode plantar cana sem pensar no desgaste ambiental, que é grande. Desde o início da cultura canavieira se observa problemas como o desmatamento e o desgaste do solo. É um modelo econômico que nega e explora a natureza. A empolgação com a produção do etanol se encaixa no padrão colonial do brasil.
      Além disso, no Brasil, em especial, considera-se que a mão-de-obra empregada na cultura da cana-de-açúcar é profundamente explorada pela falta de oferta de condições seguras de trabalho, exploração além dos limites da capacidade física dos trabalhadores e por pagamento de salários muito baixos.
      Também há preocupações com relação à sustentabilidade da produção do etanol, principalmente no que se refere à eventual necessidade de novos desmatamentos para ampliar as áreas de plantio visando o atendimento da demanda mundial crescente; ou à degradação ambiental causada pelo uso de fertilizantes e pesticidas na lavoura da cana e pelo manejo de dejetos gerados na produção, como o vinhoto.
      A grande questão que fica é relaciona às perspectivas de um futuro mercado internacional de etanol, no qual o Brasil já se candidata como grande provedor do combustível alternativo: qual será o custo desse processo de transformação em termos ambientais, sociais, políticos e econômicos e quem estará disposto a arcar com eles?

    • “Hoje em dia a Política Energética do Brasil, DEPOIS DE ALGUMAS REFORMAS, vem se tornando uma política extremamente eficiente.“ como voce me posta isso, sem deixar explicito quais seriam as reformas ??? entao vai a pergunta.. Quais seriam essas reformas? .. porque falar é muito fácil..

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      “Hoje em dia a Política Energética do Brasil, depois de algumas reformas, vem se tornando uma política extremamente eficiente”???????
      você deve ter rabo preso mesmo com alguma coisa ai so pode… fala serio agente le cada cois aaqui

  6. As Políticas Energeticas do Brasil, apesar de ainda estarem relativamente amarradas a projetos de leis e outros que nao saem do papel, caminham em uma direçao de sucesso, pois visam a eficiencia e o baixo custo, sobretudo. Temos exemplos como o biodiesel, que apesar de nao ser amplamente difundido, consegue mudar e melhorar alguns contextos sociais, sobretudo de produtores rurais que conseguem esse combustivel a partir de seus proprios produtos.Pequenas mudanças revolucionam, basta tentar.
    Outro ponto importante das politicas de energia do Brasil é o fato de ser o lider em energias limpas (segundo a ONU), o que deve ser utilizado como merito de maior incentivo e até mesmo de captaçao de recursos para investimentos, o potencial do Brasil neste assunto é enorme e devemos ter o conhecimento disto. As politicas energeticas estao sendo elaboradas e precisam de aperfeiçoamento sempre, o que nos cabe a fazer, com o pensamento na renovaçao eficiente.

    • “O grupo D está enfatizando muito a questão do biodiesel ” – que besteira !
      Para a produção de biodisel,os produtores do mesmo vão querer uma grande extensão de terra pra isso…e isso resulta no desmatamento de mais áreas,pois eles não querem usar as que já foram desmatadas..o que aumentaria a liberação de CO2..piorando o aquecimento global.Eles nem resolveram o problema do aquecimento global e ainda querem piora-lo.

      A mamona que nasce no lixo , não serve. A palma que já é natural não serve. Querem insistir no combustivel de soja que já é usado por todos na cozinha, e na cana de açucar, que degrada o meio ambiente. Porque não pesquisar e corrigir os problemas vindos do biodiesel da mamona e da palma, para não precisar desmatar e aumentar a plantaçao de cana?

    • “apesar de ainda estarem relativamente amarradas a projetos de leis e outros que nao saem do papel, caminham em uma direçao de sucesso, “ show de bola o comentario.. (ironico).. entao quando“ desamarrem“ , e quando sair do papel, voce faz outro post.. publica aqui pra gente os resultados… mas nao demora muito nao porque espero forma em 2016 ; “caminham em uma direçao de sucesso“ como se diz um chegado meu .. “ se andaris fossis bonsis, carteiro seria imortaisis“.. um trocadilho pra relaxar .. hehe

  7. Reformas no setor da energia

    No final da década de 1990 e início dos anos 2000, o Brasil passou a liberalização do setor da energia no mercado. Em 1997, a lei de investimentos petrolíferos foi aprovada, que estabelece um quadro legal e regulamentar, liberalizando e produzindo petróleo. Os principais objetivos da lei foi a criação do CNPE e da ANP, aumento do uso do gás natural, aumento da concorrência no mercado da energia, e os investimentos em geração de energia. O monopólio estatal da exploração de petróleo e gás foi terminado, e os subsídios à energia foram reduzidos. No entanto, o governo manteve o controle do monopólio de complexos de energia e administrou o preço de determinados produtos de energia.
    As Políticas adotadas do governo atual se concentram principalmente na melhoria da eficiência energética nos setores residencial e industrial, bem como o aumento das energias renováveis. Prosseguir a reestruturação do setor da energia será uma das questões fundamentais para garantir investimentos em energia suficiente para atender a crescente necessidade de combustíveis e da electricidade.

    fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADtica_energ%C3%A9tica_do_Brasil#Reformas_no_setor_da_energia

    Então quer dizer que é possivel fazer uma politica de energetica de sucesso sem alguns impactos? País NENHUM no mundo consegue, isso é impossível. A politica do Brasil é extremamente eficiente pois consegue unir o útil ao agradável, ou seja, conseguir grandes avanços na geração de energia limpa cada vez mais com muito pouco impacto. Enquanto vários países têm essa dificuldade, o Brasil hoje caminha tranquilamente para um futuro próspero na energia com ações a longo prazo enquanto outros países terão que adotar medidas drásticas no futuro, com MUITO mais impacto, MUITO mais destruição para obter resultados rápidos.

  8. Ninguém disse aqui, que para fazer uma política energética de sucesso, não precisa ter alguns impactos. Estamos querendo proteger o meio ambiente o máximo possível, que é essencial em nossas vidas, e defender a cidadania!
    Para quem não sabe, Cidadania significa :“É um referencial de conquista da humanidade, através daqueles que sempre lutam por MAIS DIREITO, maior liberdade, MELHORES garantias individuais e COLETIVAS , E NÃO SE CONFORMAM FRENTE ÀS DOMINAÇÕES ARROGANTES, SEJA DO PRÓPRIO ESTADO OU DE OUTRAS INSTITUIÇÕES OU PESSOAS QUE NÃO DESISTEM DE PRIVILÉGIOS, DE OPRESSÃO E DE INJUSTIÇAS CONTRA UMA MAIORIA DESASSISTIDA E QUE NÃO SE CONSEGUE FAZER OUVIR, EXATAMENTE POR QUE SE LHE NEGA A CIDADANIA plena cuja conquista, ainda que tardia, não será contrariada.“(fonte: http://www.advogado.adv.br/estudantesdireito/fadipa/marcossilviodesantana/cidadania.htm)
    Temos em mente um exemplo recente, simples e rápido; A construção da Usina Belo Monte. Já cansamos de falar de suas conseqüências aqui na enquete(postado pelo Silvio alias ), mas o Estado insiste em construí-la. Mas se abrirmos as noticias veremos que não é só a população do Pará que é contra. É o Brasil inteiro se manifestando contra a construção. Pessoas em Brasília, do RJ , de SP, etc..
    “A politica do Brasil é extremamente eficiente pois consegue unir o útil ao agradável, ou seja, conseguir grandes avanços na geração de energia limpa cada vez mais com MUITO POUCO IMPACTO.“ Fala que isso foi uma piada?! Acho que você deveria pesquisar um pouco mais sobre as conseqüências causadas pelas hidrelétricas (energia limpa). Pois elas interferem diretamente no próprio clima e temperatura da regiao, alem de passar por cima do direito dos cidadões que sempre viveram e usufruíram da região, tanto para moradia, quanto para alimentação(plantação, pesca, etc), e a destruição da fauna(tanto terrestre, quanto aquática, pois arvores submersas apodrecem debaixo d’água gerando assim o gás metano, no qual impede a procriação dos peixes alem de levar alguns a morte), e da flora . O que nos faz ter o dobro de cuidado, pois as usinas hidrelétricas corresponde,aproximadamente, 75% de produção de energia no nosso pais. E você me diz que causa “ MUITO POUCO IMPACTO “ ? só pode estar de sacanagem.
    E não venha me dizer que o Brasil esta unindo o útil ao agradável não, porque eu tenho certeza que se vocês estivessem no lugar deles (população local), não estariam aqui dizendo essa “ abobrinhas “, por mais que fosse útil não seria nada agradável pra vocês, terem que larga suas origens e ir morar “Deus sabe a onde “.
    E também, não diz que o Brasil caminha tranquilamente para um futuro próspero não, porque obstáculos existem e vão existir , enquanto houver pessoas que se preocupam com o próximo.

  9. Então para finalizar tiramos as seguintes conclusões:
    Temos aqui algumas informações, que corresponde o quanto produzimos de energia em relação ao tipo de fonte :
    • Hidrelétrica: 73,63% (838 usinas que produzem 78.793.231 KW)
    • Gás: 11,27% (125 usinas que produzem 12.055.295 KW)
    • Biomassa: 5,82% (356 usinas que produzem 6.227.660 KW)
    • Petróleo: 5,36% (829 usinas que produzem 5.735.637 KW)
    • Nuclear: 1,88% (2 usinas que produzem 2.007.000 KW)
    • Carvão mineral: 1,43% (9 usinas que produzem 1.530.304 KW)
    • Eólica: 0,62% (37 usinas que produzem 659.284 KW)
    • Solar: menos de 0,01% (1 usina que produz 20 KW)
    (fonte: Wikipédia )
    Em relação a hidrelétricas, já afirmamos que seria interessante o Brasil investir em PCH`s , pois alem de se ter um maior aproveitamento(menos dissipação de energia durante a transmissão, pois são pequenas hidrelétricas capazes de abastecer uma certa região), se tem um menor dano ao meio ambiente e a nós mesmos !
    Em relação ao Petróleo, por não ser renovável, seria mais importante investir em seus derivados , e investir em outras fontes de energia.
    Em relação a Nuclear, apesar de ser proporcionalmente vantajosa, é extremamente perigosa e não é renovável, os danos causados se algo der errado, é irreparável ! Portanto investir em outras fontes de energia seria a melhor opção.
    Em relação a Eólica, apesar de ser, talvez a mais cara, deveria receber uma atenção maior , pois o norte brasileiro é ideal para tal fonte .
    Em relação ao Etanol, apesar de sermos o 2º maior produtor de etanol do mundo, grande parte é para a exportação. O que reflete claramente nas bombas de postos ! Se é uma fonte limpa, e boa, porque não nos deixam aproveitar dela mais dela (barateando seu preço), ao invés da gasolina que é poluente? Pois bem, o interesse político e econômico é maior; o que nos deixam transparecer é que o governo pouco se importa com o meio ambiente. Deveríamos aproveitar melhor essa nossa fonte!
    Seria interessante investir mais em gás, biomassa, solar e carvão mineral, pois são relativamente menos danosas o que ajuda a preserva o mundo em que vivemos .
    Por ultimo, o Governo deferia incentivar a reestruturação do meio ambiente em primeiro lugar , pois não é de hoje que o meio ambiente vem sendo depredado. Já temos muito anos de desgaste , portanto BASTA. E se preocupar mais com a população, pois vivemos num país democrático, no qual devemos respeitar a opinião dela.

Lezel ur respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out /  Kemmañ )

Google photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google Log Out /  Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out /  Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out /  Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s