Smart Grid

 

Aparecendo sempre na mídia como uma solução definitiva para perdas na transmissão de energia elétrica, nem tudo são flores quando se fala de Smart Grids.
Resumidamente, a implantação de Smart Grids inauguraria uma via de mão dupla na transmissão de energia elétrica. Além da energia em si, haveria uma comunicação inteligente com a distribuidora dando a esta um maior poder de decisão com relação à sua distribuição, além de permitir fácil identificação de pontos onde se está havendo perda de energia.
Alguns diriam que são grandes teorias conspiracionistas contra esse que parece ser um modelo de tecnologia sustentável, quem sabe o primeiro passo em direção a uma sociedade sustentável.
Fato é que, muito mais do que ser uma tecnologia cara e que demanda conhecimento tecnológico para ser aplicada, o fato de integrar o consumo energético à rede global de comunicação, é mais um forma de as grandes corporações obterem cada vez mais dados sobre as vidas dos cidadãos comuns.
Bom ou não, a realidade é que nunca nada é perfeito. Resta colocar na balança e avaliar o que vale mais a pena.
A discussão está aberta, aguardamos sua opinião.

PET Elétrica

0 thoughts on “Smart Grid

  1. Tendo em vista o crescimento do consumo de energia elétrica hoje no Brasil e no mundo, Smart Grids vem com uma solução para alguns problemas futuros e atuais, causados pelos consumidores e até mesmo por problemas das redes de distribuição.
    Quem poderia discordar que redução de consumo não é beneficio ? Redução do DEC e FEC com a ajuda do Smart Grids para agir de forma eficiente em cima de um problema da rede, sobretudo nas areas onde existem hospitais.
    O cliente gerenciando seu consumo de forma consciente atravez de um medidor inteligente será um enorme avanço no que diz respeito a redução de consumo, diminuindo o consumo em horários em que a curva de carga é alta, também ajuda a manter um sistema de transmissão e distribuição mais estável e confiável.

    Sem grupo
    C1N

  2. O conceito instalado deve promover o uso racional da energia elétrica, já que apresenta mais ferramentas de controle, e, consequentemente, ocasiona redução do consumo de energia elétrica e, para os consumidores, diminuição também da conta de energia no fim do mês. A contrapartida é que sua implantação demanda altos investimentos e, no caso do Brasil, ainda falta regulamentação. Para implantar os novos medidores em todo o País, os brasileiros teriam que pagar cerca de 0,5% a mais pela energia a cada ano, resultando em uma alta acumulada de 5% ao final de dez anos, além dos altos custos de implantação.
    Outro desafio que se coloca é a compatibilização das funcionalidades requeridas, a interoperabilidade entre equipamentos, os investimentos necessários e o impacto nas tarifas cobradas do consumidor e nos processos das concessionárias. Além disso, as competências e capacitações requeridas da força de trabalho devem ser reavaliadas.O principal entrave é a conscientização dos consumidores em todos os níveis (industriais, comerciais e residenciais), porque não é suficiente apenas normalizar e trocar os medidores tradicionais pelos inteligentes sem que o usuário saiba para que ele serve. O consumidor tem seu potencial de uso limitado e precisa conhecer a tecnologia para usufruir o máximo possível dela, usá-la para gerenciar o consumo da energia, aliando a eficiência energética aos benefícios consequentes ao meio ambiente. É preciso criar políticas para mostrar ao consumidor quais serão os benefícios dessa tecnologia.
    Mas, o grande desafio é transferir esta nova tecnologia para o usuário final para que ele possa economizar e usufruir de seus benefícios.

    Grupo D2D2

    Comentário produzido em conjunto com Raí, Christiano e Deiziane.

  3. A adoção de um novo modelo de produção,distribuição,consumo e gerenciamento da energia elétrica produzida no Brasil é essencial ao desenvolvimento pelo qual passa nosso país.Nesse contexto,as Redes Inteligentes (Smart Grids) se apresentam como uma solução aos problemas atuais e aos novos problemas do nosso setor elétrico.
    O atual sistema energético já apresenta deficiências,evidenciadas por apagões recentes em grandes áreas e pelo racionamento de energia elétrica vivido pelos brasileiros há uma década,o que mostra a necessidade de evolução desse sistema para um novo,que permita uma melhor distribuição,através da interação e cooperação entre concessionárias e consumidores.
    A tecnologia dos Smart Grids proporciona essa interação,através do uso de sistemas avançados de comunicação,automação gerenciamento,capazes de gerar em tempo real dados sobre o funcionamento do sistema,fornecidos por sensores incorporados em toda a cadeia de distribuição,inclusive nas unidades consumidoras.De posse deste dados,um controle central pode realocar a distribuição de acordo com a real necessidade,monitorar equipamentos e redes,substituindo-os ou reparando-os antes que apresentem problemas;captar energia de diversas fontes,bem como aproveitar a energia gerada por unidades consumidoras.
    Este modelo é muito superior ao atual e proporcionará uma maior eficiência e confiabilidade ao sistema,tornando nosso sistema elétrico mais estável,seguro e capaz de atender á demanda do mercado.
    É claro que a implantação deste sistema enfrentará problemas graves em nosso país,como barreiras políticas,problemas socioeconômicos,necessidade de altos investimentos,falta de infra-estrutura tecnológica e até as dimensões físicas do nosso território,mas essa evolução é indispensável para o crescimento do Brasil e até mesmo para a solução de muitos destes problemas.
    Felipe de Araujo, Wesley Salvador,Guilherme Cavalcanti e Felipe Monteiro.
    Grupo:D1N

  4. A revolução das redes inteligentes parece estar mais perto de se tornar uma realidade no Brasil. Em 2012, as primeiras experiências reais serão fato para um grupo de dois mil consumidores dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, apartir disto, podera formular o custo total da implantação da rede a nivel nacional, como também o controle da rede pela população. O controle do consumo de energia sera dado através de mostradores digitais instalados em casa ou por telefone celular e até pelo aparelho de televisão. Isso e muito mais será possível através do programa de Pesquisa e Desenvolvimento, que está sendo tocado por Light e Cemig. O investimento feito em acordo com os EUA (Estados Unidos) será de U$710 mil dolares, de acordo com Fábio Toledo (coordenador do programa Smart Grid Ligth/Cemig) “Esse é o primeiro contrato do tipo na América Latina”.
    Realmente uma das preocupações é com a privacidade dos clientes, para tanto, o projeto está negociando cooperação com um grupo de defesa da privacidade do consumidor canadense. Isso, porque no centro de tudo esta o consumidor, pois ele controlará todo o seu consumo de energia, que será dado em reais e não em quilowatts/hora, como é feito atualmente.Uma das intenções do programa de smart grid é a automação das casas. Está sendo desenvolvida uma tomada ou relé inteligente. De acordo com Toledo, a distribuidora fará a medição individual de cada uma dessas tomadas. “O cliente vai poder programá-la para cortar ou ligar baseado em timming, comando instantâneo ou em programação”, explicou. O objetivo é que o medidor deixe de ser um mero registrador de consumo e passe a ser uma central de comunicação interativa entre consumidor e distribuidor. A maoir finalidade além da economia de energia e dinheiro, o consumidor tera também um melhor relacionamento entre distribuidora e clientes.

  5. Como um programa inteligente, ecologicamente correto, seguro, com um potencial para desenvolver consumo de energia, pode tornar a rede nacional insegura, causar perdas de emprego, mercados energéticos e tornar mais especulativo?

    Superficialmente, Smart Grid, fortemente defendido por grandes multinacionais como GE, IBM, a Siemens, Intel, Texas Instruments, A AT&T, Verizon, Motorola, é uma salvação para os problemas relacionados com a energia, criando estações de recarga em maior escala para carros elétricos, atualização para estruturas ultrapassadas e envelhecidas, além de amplificara utilização de energia solar e eólica.

    Embora supostamente “segura,” grandes redes pode ser penetrado inteligentes por redes sem fios e tanto conectadas. Em Agosto de 2009, hackers roubaram 179.000 dados de clientes da empresa de energia japonesa, Tokyo Hydro Eletric System como nomes dos autores, endereços e importantes números como faturamento, e outros dados contábeis. Criando-se até um novo tipo de furto, “roubo de eletricidade” por parte dos hackers.

    A Suécia, por exemplo, declara que em algumas áreas públicas com edifícios, e praias onde celulares e aparelhos com capacidade wireless não poderão ser usados pois pessoas com hipersensitividade – uma forma de alergia ambiental, que a Suécia classifica com incapacidade funcional – poderão se deslocar sem problemas de saúde.

    Além desses exemplos, outros obstáculos:
    •consumer concerns over privacy, preocupações sociais sobre a disponibilidade de “justa” de electricidade,

    •capacidade limitada de utilitários para transformar rapidamente seu negócio e ambiente operacional para tirar vantagem das tecnologias de smart grid.

    Grupo D2N

  6. O modelo de distribuição de energia tem um século de vida. Com toda evolução, especialistas pesquisam um modelo mais avançado, valorizando novas fontes de energia, preocupações com as emissões de carbono e com a tarifa, e buscam atender às demandas tanto dos consumidores quanto produtores de energia. Então são criadas as redes inteligentes, Smart Grids. Não quer dizer que a busca por esses conceitos, fazem deste, um modelo perfeito. Há muito que ser discutido.

    O sistema de rede inteligente reduzirá o consumo de energia e poderá em parte limpar a matriz energética de muitos países, mas o debate em torno desta nova tecnologia ultrapassa o ponto de vista técnico. A partir do momento em que, o Smart Grid permite que as distribuidoras de energia saibam a hora exata que os consumidores utilizaram seus aparelhos eletroeletrônicos, poderia dar espaço para uma série de riscos caso o sistema de segurança da distribuidora viesse a ser burlado. E não seria paranóia, no país em que vivemos onde contas bancárias e telefones são rastreados sem qualquer motivo legal, imaginar que pessoas poderiam facilmente ser monitoradas a partir dessa tecnologia, conhecendo a rotina completa de uma família, a hora em que dormem, em que levantam, até mesmo quando não há pessoas em casa.Imagine o que se pode fazer com tais informações? Por isso deve-se pensar duas vezes antes de instalar essas tais redes inteligentes. Precisamos de tecnologias que reduzam o consumo e tragam matrizes energéticas mais limpas, mas não precisamos de outras maneiras de nos monitorarem.

  7. A sociedade do século XXI sem dúvida alguma está intimamente ligada à tecnologia. Atualmente existem mais de 1 bilhão de computadores no mundo, eletrodomésticos são lançados “aos montes” a cada dia, e a massa populacional mergulhou com tudo nessa nova era! A Era do desenvolvimento tecnológico e do consumo de energia elétrica ( só em fevereiro de 2011, por exemplo, nós brasileiros consumimos mais de 35.357 gigawatts-hora, o que representa 4% a mais que no mesmo mês de 2010).
    Contudo os métodos de transmissão de energia atualmente continuam utilizando tecnologia do século passado! E com a demanda cada vez maior esses métodos se mostram falhos e, do ponto de vista ecológico, extremamente ineficientes.
    O Smart Grid se mostrou até então, um método mais confiável e econômico( no sentido de promover o planejamento do consumo de modo a diminuí-lo) de transmissão de energia elétrica, o que o torna uma opção extremamente valiosa, embora cara, para a solução dos “problemas elétricos”.

    Grupo: D1D1

  8. A Smat Grid (ou Energia Inteligente) transformará usuários comuns em pequenas centrais geradoras de energia, ou seja, é a descentralização da produção de energia.
    Da Smart Grid surgirão também os conceitos de Aparelhos Conscientes, Casa Inteligente, Empresas Inteligentes, Internet via eletricidade e Cidades-Modelo, onde a Smart Grid integrará tudo.
    Seguramente smart grid é o futuro da distribuição porque reúne os avanços tecnológicos nas áreas de tecnologia de informação ao mundo da energia, em favor das melhores práticas em termos econômicos e ambientais.
    Isso principalmente porque possibilita um aproveitamento mais adequado da infraestrutura existente e estimula o aumento da eficiência energética no consumo.
    Com certeza essa é a forma correta de lidar com os gastos de energia, que nos próximos anos poderam atingir valores muito mais altos do que os de energia produzida.

    Grupo D1D1

  9. O Smart Grid realmente trará muitos benefícios, como o racionamento de energia, e o controle do consumo em tempo real. Mas, não podemos nos esquecer dos pontos negativos! Nem tudo na vida são mil maravilhas.
    Destacaremos a invasão de privacidade das pessoas, até pelas próprias grandes corporações, não apenas por hackers que podem invadir o sistema e avaliar a rotina de uma família. A partir do momento em que o Smart Grid é instalado, as empresas de energia terão um controle total da cidade, podendo cortar a energia de um certo ponto na cidade. Iremos exemplificar: imagine você, em pleno dia de inverno, tomando um banho bem quente. A empresa de energia decide cortar o fornecimento para o seu chuveiro e mais de alguns de seus vizinhos, por causa de uma elevada taxa de demanda de energia. Isso seria horrível você não acha??
    Porém, todos nós deveremos entrar em um consenso e decidir o que é melhor a ser feito, colocando na balança os aspectos positivos e os negativos.

  10. “A empresa de energia decide cortar o fornecimento para o seu chuveiro e mais de alguns de seus vizinhos, por causa de uma elevada taxa de demanda de energia. Isso seria horrível você não acha??” (não leve ao lado pessoal é somente debatendo, fazendo o que o trabalho pede)
    Na verdade se as empresas de ernegia quizerem cortar o fornecimento da mesma (de ernergia) para a casa da pessoa elas não precisariam do Smart Grid, pois sem ele também é possivel tirar a eletricidade de uma só casa.
    E elas não teriam um controle total, somente parcial, pois de acordo com pesquisas e planos a ernegia não consumida pela sua casa será armazenada para que o dono desta casa faça o que bem entender com ela.
    A rede Smart Grid seguiria mais ou menos o funcionamento de uma empresa de telefonia celular.

  11. Aparentemente, o Smart Grid é uma boa tecnologia para todos. E isso é verdade. Apesar de parecer que as empresas de energia vão perder com a possibilidade de produção doméstica pelo próprio consumidor, outros fatores fazem com que as concessionárias também ganhem. O combate às perdas energéticas e redução de furtos são dois temas que permitem às empresas continuar ganhando. O que precisa ser observado é o custo de implantação dos medidores eletrônicos e de toda a rede de dados, pois só os medidores custam, em média, mais de duzentos reais.

  12. lendo os comentários dos colegas acima pude perceber alguns equivocos quanto à questão do controle da tecnologia Smart Grid. todos estão apontando como ponto negativo de sua implantação a possibilidade de uma possível “espionagem” do consumo pessoal de energia elétrica dos cidadãos e alguns até sugeriram que as empresas responsáveis poderiam cortar a energia de qualquer um a qualquer momento. Hora, vamos parar com essa teoria da conspiração, afinal de contas nos já estamos sujeitos manipulação de diversas maneiras( um exemplo é a telefonia móvel, que pode facilmente ser espionada)! E o mais importante: Não vamos nos esquecer que se o Smart grid for implantado isso ocorrerá dentro das leis vigentes em cada pais, ou seja, não precisamos nos preocupar em ficar sem energia se não receber-mos um aviso com 15 dias de antecedência( à concordar com a lei nacional).

    GRUPO: D1D1

  13. Vale lembrar que o Smart Grids, ja considerado por muitos um modelo de tecnologia sustentavel, apresenta algumas barreiras, como por exemplo, custos e inconfiabilidade. Alem disso sera que todos os paises estao preparados para receber essa tecnologia? Será que os consumidores realmente querem o Smart Grid?
    Com certeza essa tecnologia apresenta suas vantagens, mas talvez nao beneficie a todos. Por isso antes da implantação das redes inteligentes em determinada regiao ou pais, deve ser feita uma analise etica, politica e financeira.

    Grupo D2D2

  14. O uso desnecessário da energia é grande, apesar de existir uma consciência de racionamento. O Smart Grids propõe uma nova organização das redes elétricas para que não haja desperdício. Além disso, o consumidor poderá também produzir a energia que ele mesmo irá consumir. Isso diminui o custo do consumo no final do mês e também incentiva os consumidores a usar mais a energia “limpa”, como a solar. Desse modo, pode-se dizer que o Smart Grids atua de modo sustentável, sendo uma das poucas alternativas para um consumo mais inteligente da energia elétrica.

    Felipe de Araujo, Wesley Salvador,Guilherme Cavalcanti e Felipe Monteiro.
    Grupo:D1N

  15. Caro colega patrick…
    Estamos caminhando e o processo é lento,
    quanto ao seu comentário sobre regulamentação
    veja abaixo alguns descritos.
    “A Aneel prevê que ainda em 2011 estará disponível ao mercado tanto a regulação referente a definição de medidores inteligentes, como suas respectivas condições de aplicação por parte das empresas distribuidoras.”
    “As regras que nortearão a estratégia e abrangência de instalação dos medidores inteligentes estarão disponíveis até o final do segundo semestre.”
    “Até o fim deste ano o país deve contar com um desenho de política pública para o smart grid.”
    Sem mais para o momento. Abraço a todos
    Elétrica | Energia noturno | Sem Grupo

  16. É importante todos os tipos de opinião quando se fala em uma tecnologia tão diferente de todas as formas atuais, como o smart grid, por isso respeito as opiniões contrárias a esse tipo de energia. Porém, ser contra a pesquisa dessa idéia tão inovadora e espetacular que invadiu a sociedade atual é somente para pessoas com um pensamento retrógrado e ultrapassado, descrentes que a tecnologia pode sim estar conciliada com a preservação do meio ambiente. O smart grid, certamente será a solução para a grande demanda de energia em um futuro bem próximo, isso se não quisermos terminar de destruir a natureza no ritmo em que estamos.
    Grupo: D1N

Lezel ur respont da Grupo D1D2 Nullañ ar respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out /  Kemmañ )

Google photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google Log Out /  Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out /  Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out /  Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s