Lixo pode gerar quase uma Belo Monte em energia

Seria possível gerar cerca de 3.300 MWh somente com resíduos enviados para aterros.

belo monte2

 

 

 

 

 

 

 

O lixo recolhido anualmente no País seria suficiente para gerar cerca de 3.300 MWh, ou 29 GWh/ano. Esse valor corresponde a cerca de 75% da produção prevista de energia pela usina de Belo Monte – cujo valor total esperado é de 4.500 MWh. O cálculo foi feito pela Keyassociados, consultoria especializada em negócios sustentáveis.

“Essa é uma estimativa conservadora, pois é possível que a quantidade de energia potencial a ser gerada seja maior ainda. Influenciam nesse ponto o tipo de tecnologia utilizada ou uma eventual ampliação no recolhimento e destinação correta dos resíduos”, afirma Ricardo Valente, diretor da Keyassociados e autor da estimativa.

Lenn pelloc’h

Pesquisadores criam tecido que converte calor do corpo em energia

Energia despendida durante uma caminhada intensa ou pela prática de exercícios físicos seria suficiente para recarregar celulares e outros aparelhos portáteis

 Corey Hewitt, pesquisador da Universidade Wake Forest

Imagine a cena: você está caminhando na rua e pega o celular para fazer uma ligação, quando se dá conta de que a bateria está totalmente descarregada. Daí, sem demonstrar um pingo de frustração, você coloca o celular no bolso da calça, pula durante alguns minutos e, voilà, uma “barrinha” de energia aparece no visor.

Se depender de uma equipe de pesquisadores do Centro de Nanotecnologia da Universidade Wake Forest, essa situação digna de filme de ficção científica pode virar realidade. Em artigo publicado este mês na revista “Nano Letters”, eles anunciaram o desenvolvimento de uma espécie de filtro termoelétrico capaz de produzir energia a partir do calor libertado pelo corpo humano. Lenn pelloc’h

Tela LCD vira painel solar para recarregar baterias

Polarizador solar

Que tal usar a tela do seu computador, celular ou tablet para recarregar as baterias do próprio aparelho? Esta é a proposta de um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Para isso, eles criaram um polarizador fotovoltaico, um dispositivo capaz de capturar a luz ambiente através da tela e convertê-la em eletricidade. Na verdade, mesmo a luz de fundo usada para fazer funcionar as telas LCD (backlight) pode ser convertida em energia e reaproveitada. Esta é mais uma alternativa no emergente campo da colheita de energia, que visa capturar ou reaproveitar energia do ambiente. Lenn pelloc’h

Flexoeletricidade: cristal sintético é produzido para gerar energia

Flexibilidade incorporada

Alguns materiais produzem um campo elétrico quando você os dobra – um fenômeno chamado efeito flexoelétrico. Mas esse efeito era pequeno demais para que se pensasse em aplicações tecnológicas para ele. Agora, uma equipe coreana descobriu como gerar um grande efeito flexoelétrico a partir de uma fina película fabricada com uma “flexibilidade incorporada”. Eles também descobriram como variar o grau dessa capacidade de flexão e, portanto, a força do campo elétrico gerado. O efeito pode ser surpreendentemente forte, o bastante para ser útil em sensores e atuadores em nanoescala, como os necessários para movimentar micro e nano robôs. Lenn pelloc’h