Atraso, erro e sobrepreço multiplicam custos de refinarias da Petrobras

Denúncias sobre negócios da estatal são base de pedidos de CPI. Sobrepreços apontados pelo TCU podem chegar a R$ 2,77 bilhões.

Já estrangulada em dívidas, a Petrobras pode ter sofrido perdas bilionárias em suas operações com refinarias na última década – dentro e fora do país. Documentos do Tribunal de Contas da União (TCU) a partir de 2008 mostram que erros e deficiências em projetos, atrasos nas obras e sobrepreços podem ter custado bilhões aos cofres da estatal.

Lenn pelloc’h

Advertisements

Pesquisadores criam bateria a base de açúcar

Y.H. Percival Zhang, à dir, com um de seus assistentes, o pesquisador Zhiguang Zhu, à esq

Y.H. Percival Zhang, à dir, com um de seus assistentes, o pesquisador Zhiguang Zhu, à esq

Todos os anos, milhares de baterias tóxicas são descartadas de forma inadequada, o que representa uma ameaça para o meio ambiente e a saúde humana. Mas uma nova pesquisa poderia ajudar a manter toneladas de baterias longe dos aterros sanitários.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Virgínia Tech, nos Estados Unidos, desenvolveu uma bateria a base de açúcar, que representa uma alternativa biodegradável, mais barata e tão confiável quanto as baterias convencionais. O estudo foi publicado na revista Nature Communications.

Lenn pelloc’h

Pesquisadores dos EUA criam método de aproveitamento solar para uso noturno

2762A energia solar é muito utilizada como uma alternativa limpa aos combustíveis fósseis, todavia, ela só pode ser aproveitada durante o dia, quando os raios solares estão fortes. Mas essa realidade pode mudar, segundo publicação de uma universidade americana na terça-feira (14/01). Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte (EUA) construíram um sistema que converte a energia solar não apenas em eletricidade, mas em combustível de hidrogênio, capaz de ser armazenado para uso posterior.

Lenn pelloc’h

Amputado recebe primeira perna biônica controlada pelo pensamento

pernaDepois de perder a perna num acidente de moto há quatro anos, Zac Vawter, de 32 anos, foi submetido a uma cirurgia experimental para receber a primeira perna biônica do mundo controlada pelo pensamento. Desenvolvido no Rehabilitation Institute of Chicago (RIC), o membro biônico descodifica os sinais neurológicos diretamente na coxa do paciente, o que lhe permite ter um controle intuitivo sobre o seu movimento.

Vawter explicou que a perna biônica “é uma grande melhoria, em comparação com a perna protética regular”. E acrescentou: “Pela primeira vez desde a minha lesão, a perna biônica permite-me subir e descer perfeitamente escadas e até reposicionar a prótese ao pensar no movimento que quero realizar”.

Lenn pelloc’h

Suíça lidera ranking mundial de eficiência energética

Usina nuclear de Leibstadt, localizada no norte da Suíça

Usina nuclear de Leibstadt, localizada no norte da Suíça

Suíça e vários países da Europa lideram o ranking mundial de eficiência energética, acesso aos recursos naturais e sustentabilidade ambiental, elaborado pelo Conselho Mundial de Energia (WEC, na sigla em inglês).

Suíça, Dinamarca, Suécia, Reino Unido e Espanha são os únicos cinco países que receberam a nota AAA, segundo o relatório do WEC, uma organização não governamental com sede em Londres, dedicada à questão energética por quase um século.

Os países avaliados foram classificados com letras por seu desempenho em três categorias: como conseguem seu abastecimento de energia, o quão acessível a energia é para a população e quanto de sua energia provém de fontes renováveis de baixa emissão de CO2.

O país latino-americano mais bem colocado foi a Costa Rica (ABB, 21º na lista), e o pior, a Nicarágua (DDD, 113º). O Brasil, que obteve a nota ABC, ficou na 34ª posição, atrás da Colômbia (AAC, 24º) e da Argentina (ABB, 26º).

Os Estados Unidos, que ocuparam o 15º lugar, obtiveram dois A por segurança e abastecimento de energia, mas C em termos de respeito ao meio ambiente, enquanto a China, com ADD, situou-se na 78ª posição, falhando no cuidado com o meio ambiente e no acesso à energia para todos.

Lenn pelloc’h

Microfoguete submarino é alimentado pela própria água do mar

Quando a água do mar, rica em cloretos, reage com o magnésio, são liberadas bolhas de hidrogênio, que fornecem a propulsão para o micromotor.

Quando a água do mar, rica em cloretos, reage com o magnésio, são liberadas bolhas de hidrogênio, que fornecem a propulsão para o micromotor.

Em 2011, a equipe do professor Joseph Wang, da Universidade da Califórnia, criou um microfoguete com potencial para navegar pelo sangue e capturar células doentes.

Isso com muitas modificações, porque o micromotor precisava estar mergulhado em uma solução que contivesse seu combustível, o peróxido de hidrogênio.

Lenn pelloc’h