Cidade sueca vai produzir alimentos nas alturas

São Paulo – Com mais de sete séculos de existência, a pequena cidade de Linkoping, no sul da Suécia, vai ganhar ares futuristas com a construção de sua primeira estufa urbana vertical para a produção de alimentos.

Projetado pela empresa sueco-americana Plantagon, o edifício também abrigará um centro internacional para pesquisa de novas tecnologias de agricultura urbana. O prédio, orçado em cerca de 30 milhões de dólares, terá 54 metros de altura, o equivalente a um edifício convencional de 12 pavimentos. Cada andar poderá abrigar uma cultura diferente de vegetais e hortaliças, que chegarão fresquinhos ao comércio local, já que não precisarão percorrer longas distâncias do campo à mesa do consumidor.

Lenn pelloc’h

Advertisements

Cientistas criam baterias flexíveis que se acoplam em camisas

Bateria nas roupas

Cientistas da Escola Politécnica de Montreal, liderados pelo pesquisador Maksim Skorobogatiy, construíram uma bateria que fosse tão flexível a ponto de ser acoplada em camisas. Os engenheiros do Canadá inventaram uma forma de fazer com que as baterias fossem feitas de fios grossos, sendo assim instaladas em um tecido de algodão qualquer, para acionar um sistema elétrico também integrado à roupa, como LEDs ou até sistemas mais complexos, como gadgets.

Apesar de flexíveis, todos os materiais são sólidos e resistentes, lembrando um pouco o couro, e são mais seguros do que levar baterias no bolso, como é a solução utilizada atualmente por quem deseja ter blusas inteligentes. Além disso, Skorobogatiy diz que sua bateria, acoplada nas camisas, pode ajudar a salvar vidas, caso esteja unida a um desfibrilador ou emitindo sinais de alerta quando o organismo de uma pessoa está desregulado.

Lenn pelloc’h

EUA e China querem desarmamento nuclear da Coreia do Norte

Brasília – O desarmamento nuclear da Coreia do Norte é tema de reunião hoje (24) de diplomatas norte-coreanos, norte-americanos e chineses em Pequim, capital chinesa. É o segundo dia de discussões.

É a primeira vez que ocorrem os debates desde a morte do presidente Kim Jong-il – em dezembro do ano passado -, que ficou 17 anos no poder. O cargo foi transmitido para o filho dele, King Jong-un. Lenn pelloc’h

Horário de verão gera economia de R$ 160 milhões

A economia com o horário de verão, que terminou à meia-noite de ontem, chegou neste ano a R$ 160 milhões. O valor é superior à estimativa preliminar anunciada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), que previa entre R$ 50 e R$ 100 milhões.

Lenn pelloc’h

Bateria de ar-lítio: carros elétricos com autonomia de 800 km

Ansiedade de motorista

Um dos maiores entraves à popularização dos veículos elétricos é a chamada “ansiedade da autonomia”.

Os motoristas parecem morrer de medo de que a carga da bateria não consiga levá-los até seu destino ou trazê-los de volta para casa.

Agora, cientistas da IBM afirmam ter resolvido um problema fundamental que poderá levar à criação de uma bateria capaz de dar a um carro elétrico uma autonomia de 800 quilômetros – o dobro da autonomia da maioria dos carros a gasolina ou etanol.

As melhores baterias  disponíveis atualmente são do tipo íons de lítio, que são boas para telefones celulares, razoavelmente boas para notebooks, mas insuficientes para veículos elétricos, que não conseguem superar os 200 km de autonomia.

Bateria de ar-lítio

Um novo tipo de bateria, chamada bateria de ar-lítio, é muito mais interessante porque sua densidade teórica de energia é 1.000 vezes maior do que as baterias de íons de lítio, o que a coloca praticamente em condições de igualdade com a gasolina.

Em vez de usar óxidos metálicos no eletrodo positivo, as baterias de ar-lítio usam carbono, que é mais leve e mais barato, e reage com o oxigênio do ar ambiente para produzir uma corrente elétrica.

Lenn pelloc’h

RIO+20 precisa considerar os limites do planeta

São Paulo – Em janeiro, a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou o primeiro esboço da declaração final da Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável (RIO+20), que será realizada no Brasil em junho.

O documento, no entanto, deveria destacar de forma mais clara e objetiva o princípio de que há um limite natural para o planeta – um conceito central para o desenvolvimento sustentável. A opinião é de Carlos Alfredo Joly, titular do Departamento de Políticas e Programas Temáticos (DEPPT), a Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e coordenador do programa BIOTA-FAPESP.

“O principal problema com o documento é o fato de não partir do princípio de que há um limite natural para o planeta, e que inevitavelmente teremos que nos adaptar à sua capacidade de suporte. Este é um conceito chave do desenvolvimento sustentável, que não está posto de forma clara e objetiva em parte alguma do documento. Partir desse princípio pode ser a única chance para que a RIO+20 alcance objetivos palpáveis”, disse Joly à Agência FAPESP. Lenn pelloc’h

Universidade e empresa vão atuar na geração de energia limpa

Gerador de energia eólica em Gravatá, Pernambuco

“É uma oportunidade para o Brasil aproveitar a qualidade de seus ventos, que têm uma velocidade de 8,5 metros por segundo”, disse o professor de engenharia Geraldo Tavares

 A Universidade Federal Fluminense (UFF) e a empresa alemã de projetos de energia eólica e solar Fuhrländer vão desenvolver um aerogerador que fornecerá energia elétrica a cerca de 40 mil pessoas, além de um curso de extensão em energias renováveis para profissionais da área.

O convênio firmado no início do mês prevê também a construção de dois laboratórios na fazenda da UFF em Iguaba Grande, na Região dos Lagos: um vai abrigar o aerogerador e o outro terá cinco módulos para captação de energia que serão instalados nos tetos de prédios da universidade, nos municípios de Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Angra dos Reis, Búzios e Niterói. Cada módulo contará com um aerogerador e uma estação anemométrica (que verifica os ventos e a temperatura). Lenn pelloc’h